Banca de DEFESA: DUARTE ANTONIO DE PAULA XAVIER GUERRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DUARTE ANTONIO DE PAULA XAVIER GUERRA
DATA : 14/12/2022
HORA: 09:00
LOCAL: ENSINO REMOTO EMERGENCIAL
TÍTULO:

TRAJETÓRIA E BEM-VIVER DO POVO YUDJÁ-TERRITÓRIO INDÍGENA DO XINGU, MATO GROSSO, BRASIL.


PALAVRAS-CHAVES:

 Yudjá; Bem Viver; Ayahuasca; Xingu.  


PÁGINAS: 185
RESUMO:

A presente pesquisa insere-se no campo das ciências ambientais com perfil  
etnográfico, e tem como objeto de estudo o grupo populacional pertencente à  
etnia Yudjá (Juruna) que hoje habita o Parque Indígena do Xingu, no Estado de  
Mato Grosso – Brasil. O trabalho tem por objetivo estudar a trajetória deste  
grupo que, em sucessivas migrações após os primeiros contatos com a  
sociedade nacional desde os tempos do Brasil colônia instalou-se no território  
de atual ocupação, no médio Xingu e com isto verificar quais os fatores  
dinâmicos envolvidos nesta trajetória, bem como a resiliência demonstrada por  
este povo. Este estudo objetiva também avaliar o modo de viver dos Yudjá  
pertencentes a este grupo e se, dentre sua característica forma de ser e de  
viver, podemos identificar aspectos relacionados ao emergente conceito de  
Bem Viver. Buscando identificar parâmetros mais objetivos para tal, realizamos  
uma busca na literatura sobre Bem Viver e povos indígenas do Brasil através  
de ferramenta denominada cienciometria, utilizando os strings de busca ―Bem  
Viver‖ e ―Povos Indígenas‖ nas principais bases de dados acadêmicos, que  
resultou na seleção de 24 trabalhos, em cujo bojo identificamos elementos do  
Viver Bem. Com a descrição de tais elementos do Bem Viver encontrados entre  
os Yudjá, objetiva-se contribuir para o fortalecimento deste povo através da  
valorização de sua forma de viver e ainda, fornecer dados que possam servir  
também à sociedade como um todo, no delicado período de enfrentamento à  
crise civilizacional em que nos encontramos. Os dados referentes à trajetória  
foram pesquisados na literatura e também através de relatos diretos dos Yudjá  
contemporâneos. A coleta de dados para este objetivo, bem como para o  
escopo do trabalho como um todo se deu através de observação participante e  
registro em diários de campo, colhidos ao longo de nove anos de trabalho  
como médico voluntário através do Departamento Médico e Científico e  
Departamento de Beneficência da UDV, médico supervisor do Projeto Mais  
Médicos para o Brasil e docente do Curso de Medicina da Universidade  
Federal de Mato Grosso – Campus Sinop. Os resultados que obtivemos nos  
permitem considerar que o povo Yudjá hoje residente nos limites do Parque  
Indígena do Xingu dá testemunho de destacada resiliência que, ao longo de  
anos de vicissitudes, ameaças e luta por perseverar, moldaram sua forma de  
ser e de viver, sendo hoje possível verificar entre eles elementos do que se  
denomina Bem Viver. Os dados obtidos nos permitem antever que o povo  
Yudjá tem com o que contribuir com seu estilo de vida para nossa sociedade,  
ensinando com sua forma simples, resiliente e integrada a seu meio, uma  
maneira de bem viver.  


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 84207007 - CAROLINA JOANA DA SILVA
Interno - 802.146.574-34 - FLÁVIO BEZERRA BARROS - UFPA
Interno - 500.479.220-87 - LILIANE CRISTINE SCHLEMER ALCANTARA - UFMT
Externo à Instituição - CARLOS TEODORO HUGUENEL IRIGARAY - UFMT
Notícia cadastrada em: 05/08/2022 08:51
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-02.applications.sig.oraclevcn.com.srv2inst1