Banca de QUALIFICAÇÃO: ROSIMEIRE VILARINHO DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ROSIMEIRE VILARINHO DA SILVA
DATA : 27/05/2022
HORA: 14:00
LOCAL: ENSINO REMOTO EMERGENCIAL
TÍTULO:

 

Socioeconomia e fragilidade ambiental em Sinop e Terra Nova do Norte, Mato Grosso


PALAVRAS-CHAVES:

 

caracterização ambiental; processo de ocupação e uso da terra; transformações sociais, econômicas e ambientais; fragilidade ambiental, elementos ambientais.


PÁGINAS: 207
RESUMO:

O presente estudo aborda o processo de ocupação territorial,  uso da terra e a fragilidade ambiental dos municípios de Sinop e Terra Nova do Norte, Mato Grosso, Brasil. A escolha desses dois munícipios deu-se em função das peculiaridades que envolveram a implantação dos seus projetos de colonização. Os dois municípios são provenientes das políticas de ocupação implementadas pelo governo federal na década de 1970, através das políticas de ocupação do governo federal e também da iniciativa privada. Ambos os municípios ao longo dos anos sofreram intensos processos de transformação da paisagem principalmente no que se refere ao meio físico. O município de  Sinop com o desenvolvimento da agricultura e Terra Nova do Norte  com a pecuária. O objetivo do estudo foi analisar as transformações sociais, econômicas e ambientais no município de Sinop e Terra Nova do Norte/MT, identificando as fragilidades ambientais. Este estudo está estruturado em quatro capítulos. O primeiro refere-se à caracterização ambiental (geologia, relevo, clima, solo e hidrografia) realizada por meio do levantamento dos aspectos ambientais, através de informações obtidas no relatório do projeto RADAMBRASIL, e nas seguintes bases de dados: SEPLAN (Secretaria de Estado de Planejamento), INMET (Instituto Nacional de Meteorologia) CPRM (Serviço Geológico do Brasil) IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), ANA (Agência Nacional de Águas) e EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), e também trabalho de campo. O processamento dos dados foi realizado através do sistema de informação geográfica, software ArcGis 10.6 para a confecção dos mapas. O estudo possibilitou entender os elementos físicos que constitui os dois municípios estudados e como eles se interrelacionam e influenciam o processo de uso/ocupação em cada município. O segundo capítulo aborda  a análise das transformações sociais, econômicas e ambientais ocorridas nos dois municípios, através do levantamento do processo de ocupação, uso da terra e dos indicadores socioeconômicos. Os procedimentos utilizados foram: levantamento do processo histórico de ocupação dos municípios, na literatura e em sites de órgãos oficiais (SEPLAG/Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, SEPLAN/Secretaria de Estado de Planejamento), elaboração do mapa de uso e cobertura da terra através do Sistema de Informação Geográfica, software ArcGis 10.6  e análise dos indicadores socioeconômicos, que foram realizados através da coleta de informações nas Bases de dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), SEPLAN (Secretaria de Estado de Planejamento), SEPLAG (Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão), PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), DATASUS (Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde) e SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). O estudo mostrou que a ocupação dos  municípios pesquisados, seguiu a dinâmica de ocupação adotada pelo Governo Federal a partir de 1970, respondendo a interesses governamentais e privados. O terceiro capítulo teve por objetivo identificar e mapear as fragilidades ambientais presentes nos dois municípios, embasado na proposta metodológica de Ross (1994), desenvolvida para estudar, tanto ambientes em condições naturais (fragilidade potencial) como também ambientes antropizados (fragilidade emergente). Os procedimentos metodológicos utilizados foram: pesquisa bibliográfica, trabalho de campo e elaboração da base de dados por meio das instituições CPRM (Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais), IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária),  ANA (Agência Nacional de Águas) e MAPBIOMAS. Esta base de dados permitiu o levantamento e análise das condicionantes geoambientais (geologia, geomorfologia, solos, drenagem, precipitação e uso e cobertura da terra). Desse modo foi gerado os mapas de solo, relevo, precipitação e uso e cobertura da terra, através do Sistema de Informação Geográfica, software ArcGis 10.6, que foram confrontados para realizar o mapeamento da fragilidade ambiental potencial e emergente.  O mapeamento evidenciou as condições naturais e os desequilíbrios do meio físico causado perlas intervenções antrópicas nos dois municípios estudados. O quarto capítulo está em construção, e será realizada uma análise para identificar se os elementos ambientais regionais fazem parte do currículo das escolas públicas municipais em ambos os  municípios e como estes são trabalhados na prática pedagógica em sala de aula. A pesquisa foi realizada em duas escolas, uma em cada município pesquisado, com os seguintes procedimentos: análise documental da matriz curricular da Rede Municipal de Ensino e do Projeto Político Pedagógico das escolas pesquisadas; entrevistas com professores do 5º ano do Ensino Fundamental e aplicação de questionário para os alunos do 5º ano do Ensino Fundamental das duas escolas.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 83260001 - AUMERI CARLOS BAMPI
Interno - 80797005 - CARLA GALBIATI
Interno - 84207007 - CAROLINA JOANA DA SILVA
Presidente - 83161001 - CELIA ALVES DE SOUZA
Externo ao Programa - 104796003 - EVALDO FERREIRA
Externo à Instituição - PATRÍCIA HELENA MIRANDOLA GARCIA - UFMS
Notícia cadastrada em: 20/04/2022 18:02
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-02.applications.sig.oraclevcn.com.srv2inst1