Banca de DEFESA: RITHIELY CONCEIÇÃO SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RITHIELY CONCEIÇÃO SILVA
DATA : 26/05/2022
HORA: 08:00
LOCAL: Remoto meet.google.com/ptd-rfea-deq
TÍTULO:

Atividade antibacteriana do mel de Mato Grosso (Brasil) e indicativo de mecanismo de ação sobre bactérias gram positiva e negativa


PALAVRAS-CHAVES:

Permeabilidade da membrana externa; Enterococcus faecalis; Staphylococcus epidermidis; Helicobacter pylori, flavonoide


PÁGINAS: 70
RESUMO:

O objetivo deste estudo foi avaliar a atividade antibacteriana do mel de Apis mellifera e suas frações e o indicativo do mecanismo de ação de permeabilidade da membrana em combinação com antibióticos. Os méis avaliados foram oriundos do estado de Mato Grosso, dos municípios de Cáceres (mel 1 e 2), Barra do Garças (mel 3), Nossa Senhora do Livramento (mel 4) e Sinop (mel 5). Os méis foram selecionados devido maior conteúdo de fenólicos, atividade antioxidante e antibacteriana comparado com outros do Estado, estudados pelo Laboratório do Centro de Estudo de Apicultura (CETApis). Os 05 méis frescos e suas 03 frações (hexano, acetato de etila e n-butanol) totalizaram 20 amostras testadas. A avaliação da atividade antibacteriana foi sobre as bactérias Enterococcus faecalis, Staphylococcus epidermidis e Helicobacter pylori. A atividade antibacteriana foi verificada por microdilução em caldo, com diluição seriada de 1000 a 1,95 μg/mL. O indicativo de permeabilidade da membrana foi investigado por microdiluição em caldo, com a combinação de mel ou fração e antibiótico, semelhante a “checkboard”. Para esse estudo o mel ou fração foi testado nas concentrações seriada de 80 a 0,15 mg/mL, com o antibiótico (claritromicina/ eritromicina) na concentração de 20 a 0,04 μg/mLA metodologia de TimeKill foi usada para avaliar a atividade antibacteriana do mel/ frações no tempo de ?12, 24 e 48 H. Os méis e as suas frações não tiveram atividade antibacteriana até a concentração de 1000 μg /mL para as três bactérias. O mel 1 e sua fração N-butanol teve efeito sobre a permeabilidade da membrana sobre E. faecalis. No entanto, os cinco méis não tiveram efeito sobre a permeabilidade da membrana de S. epidermidis. Conclui-se que o mel 1 de Cáceres é promissor para potencializar a atividade antibacteriana do antibiótico, ligada a permeabilidade da membrana possivelmente devido a ação de flavonoide.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 80797005 - CARLA GALBIATI
Interno - 83200001 - AUREA REGINA ALVES IGNACIO
Externo ao Programa - 96130006 - LARISSA MARIA SCALON LEMOS
Externo à Instituição - DOMINGOS TABAJARA DE OLIVEIRA MARTINS - UFMT
Notícia cadastrada em: 20/04/2022 09:54
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-02.applications.sig.oraclevcn.com.srv2inst1