Banca de DEFESA: ALEXANDRE FORGIARINI BASTOS ANICETO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALEXANDRE FORGIARINI BASTOS ANICETO
DATA : 17/04/2022
HORA: 14:30
LOCAL: ENSINO REMOTO EMERGENCIAL
TÍTULO:

Avaliação de técnicas de restauração ecológica com espécies  
nativas em área de nascentes degradadas no Pantanal  
Matogrossense.


PALAVRAS-CHAVES:

 Ecologia da restauração, nucleação, restauração de nascentes, semeadura  
direta.


PÁGINAS: 125
RESUMO:

O objetivo deste trabalho foi avaliar diferentes técnicas de semeadura direta (em covas e a  
lanço), bem como identificar a influência da transposição de serapilheira pós semeadura, para  
emergência e estabelecimento de espécies nativas em trabalho de restauração ecológica numa  
área de nascentes degradadas no município de Cáceres-MT. No experimento aqui apresentado
foram analisadas, duas técnicas de semeadura direta (em covas e a lanço), em dois ambientes  
distintos (com e sem a transposição de serapilheira), utilizando três espécies de plantas nativas,
(Jacaranda cuspidifolia Mart., Sterculia apetala (Jaqc.) H. Karst., Vochysya divergens Pohl.),  
em esquema fatorial (2x2) em uma área de nascentes degradada. Sendo quatro tratamentos: T1
semeadura direta em covas, T2 semeadura direta em covas com serapilheira, T3 semeadura  
direta a lanço e o T4 semeadura direta a lanço com serapilheira, com oito repetições cada. A
emergência, estabelecimento foram monitorados por três meses e tiveram medidos altura,  
diâmetro do colo e número de folhas por dez meses. Para a espécie S. apetala, o melhor  
tratamento foi o T2, obtendo melhores valores em todos os parâmetros analisados nesse
experimento. Para a espécie J. cuspidifolia T4 se mostrou mais eficiente para porcentagem de  
emergência, estabelecimento, índice de velocidade de emergência, tempo médio de emergência,  
já para as médias de altura e diâmetro do colo número de folhas e taxa de sobrevivência o T3  
demonstrou ser mais promissor. Para a espécie V. divergens o tratamento que obteve melhores  
valores em todos parâmetros analisados no experimento foi o T4. Sementes grandes apresentam  
melhores taxas de germinação e emergência em campo, utilizando a técnica de semeadura  
direta, quando comparadas com sementes pequenas, A serapilheira transposta após a semeadura  
direta influenciou positivamente na emergência, estabelecimento e proporcionou plantas com  
maior vigor ao final do experimento. Mostrando ser uma possibilidade para melhorar as chances  
de emergência e estabelecimento de espécies com sementes pequenas, usadas em trabalho de  
recuperação florestal. Assim, consideramos que o uso da transposição de serapilheira pode ser  
um dos métodos auxiliares eficientes na restauração ecológica.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 118188001 - ERNANDES SOBREIRA OLIVEIRA JUNIOR
Externo à Instituição - FERNANDO FERREIRA DE MORAIS - UFPB
Externo à Instituição - José Francisco Gonçalves Júnior - UnB
Presidente - 48690002 - SOLANGE KIMIE IKEDA CASTRILLON
Notícia cadastrada em: 17/03/2022 17:10
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-01.applications.sig.oraclevcn.com.srv1inst1