Banca de DEFESA: JOSE ALDAIR PINHEIRO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOSE ALDAIR PINHEIRO
DATA : 15/02/2022
HORA: 13:30
LOCAL: ENSINO REMOTO EMERGENCIAL
TÍTULO:

 

O projeto de Colonização Terranova: História Ambiental, necessidade e possibilidade da Educação Ambiental


PALAVRAS-CHAVES:

Colonização. Projeto Terranova. Crise socioambiental. Educação Ambiental.


PÁGINAS: 14
RESUMO:

Esta tese aborda a História Ambiental do Projeto de Colonização Terranova localizado nos municípios de Terra Nova do Norte e Nova Guarita no extremo-Norte de Mato Grosso. A abordagem retrata a configuração histórica e atual no tocante à relação desta sociedade com a natureza em seus locais de vida. O Projeto de Colonização Terranova trata-se de um processo de reocupação desse território, via Colonização Oficial do governo militar implantado no ano de 1978 através do INCRA e da Cooperativa Coopercana. Neste Projeto foram assentadas famílias camponesas sem-terras que ocupavam ilegalmente as reservas indígenas da região do alto Uruguai – RS, onde viviam em situação de conflito pela posse da terra. A partir do enfoque da História Ambiental, a problemática central da tese procurou responder as seguintes indagações: Quais condições socioambientais levaram/motivaram os sulistas da região do Alto Uruguai/RS aceitar a proposta de migrar para o Projeto de Colonização Terranova no Norte de Mato Grosso?Como se deu o processo de apropriação e uso da natureza, tendo em vista a crise socioambiental vivida pelos camponeses atualmente na área de estudo da pesquisa? O objetivo da pesquisa é analisar as relações entre sociedade e natureza, representadas pelos camponeses e o Projeto Terranova, na perspectiva da História Ambiental, para o enfrentamento e superação dos desafios à crise socioambiental local por meio das possibilidades ofertadas pela educação ambiental.A abordagem do estudo tem por base a pesquisa qualitativa. Nesta perspectiva e de modo a contemplar os objetivos traçados e responder às questões da tese, foi definindo o método dialético para a abordagem científica da pesquisa. Quanto aos procedimentos e técnicas de coletas de dados utilizamos, primeiro a pesquisa bibliográfica e documental. Em seguida, para os dados de campo utilizamos a observação participante, caderno de campo e entrevistas semiestruturadas tendo por base métodos da história oral de vidas e a entrevista compreensiva. Os interlocutores participantes são camponeses remanescentes nos lotes rurais desde o início do Projeto. Os resultados mostram que a criação e implantação do Projeto Terranova desconsiderou o povo indígena krenakarore, que habitavam esse território. Desconsiderou, também a realidade socioambiental dos camponeses migrantes em suas trajetórias de vida e a migração para o bioma amazônico sem qualquer preparação ou conhecimento do ecossistema local. O desenvolvimento do Projeto Terranova reproduziu o ethos sulista do desmatamento civilizador baseado na exploração dos recursos naturais e na produção de matérias prima para os mercados nacionais e internacionais. No processo de reocupação foi implantado um modelo de desenvolvimento baseado na exploração dos recursos naturais, na qual as famílias camponesas foram inseridas e concebidas como pequenas unidades de produção para o mercado nacional e internacional. Consequentemente, isso gerou impactos e transformações profundas no meio ambiente levando a uma crise socioambiental local que impõe a essa sociedade a busca de alternativas de enfrentamento da crise e a construção de uma vida coletiva mais sustentável.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALEXANDRE PANOSSO NETTO - USP
Presidente - 83260001 - AUMERI CARLOS BAMPI
Interno - 84207007 - CAROLINA JOANA DA SILVA
Externo à Instituição - EUNICE SUELI NODARI - UFSC
Interno - 802.146.574-34 - FLÁVIO BEZERRA BARROS - UFPA
Notícia cadastrada em: 17/12/2021 09:20
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-04.applications.sig.oraclevcn.com.srv4inst1