Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIA APARECIDA DE SOUZA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIA APARECIDA DE SOUZA
DATA : 01/01/2022
HORA: 14:00
LOCAL: ENSINO REMOTO EMERGENCIAL
TÍTULO:

 

TERRITORIALIDADES FEMININAS CAMPONESAS DO CERRADO


PALAVRAS-CHAVES:

Territorialidade, mulheres camponesas, Cerrado, cultura, protagonismo


PÁGINAS: 228
RESUMO:

O tema territorialidades femininas camponesas do Cerrado desenvolvido nesta tese,  
buscou contemplar abordagens envolvendo o bioma Cerrado e sua territorialização e as  
consequências para as diversidades socioambientais e culturais. A importância gradual
econômica do bioma processou-se pela próspera capacidade produtiva, na expansão das  
fronteiras agrícolas brasileiras. O desenvolvimento do capital agrário nestes campos,
viabilizou as transações e parcerias de setores privados e públicos com estratégias e  
negociações para mercados internacionais agroexportadores. Este cenário histórico  
implicou em alterações das relações socioambientais e culturais de povos tradicionais  
cerradeiros, cujas dimensões materiais e imateriais nas relações dos sujeitos com o  
território, se configuraram na consolidação das ações de sobrevivência e de identidades.  
Estas relações conciliam teias de cumplicidades e vínculos criando uma feição singular,
combinando as necessidades cotidianas da vida e a oferta da biodiversidade do Cerrado.
Neste seguimento, buscou-se investigar o protagonismo das mulheres camponesas nos  
territórios cerradeiros, suas experiências e legados. Para alcançar tal objetivo utilizou-se  
da história de vida, metodologia integrante do universo das pesquisas qualitativas,  
contando com os procedimentos da observação participante e entrevistas abertas.
Apresentando incipientes resultados, tais técnicas foram suficientes para compreender  
que, mesmo diante de condições da invisibilidade dada pela estrutura social patriarcal e  
percalços impostos pelas transformações de trabalho no campo, as mulheres camponesas  
participantes da pesquisa, revelaram que abrigam, com singeleza, os modos de vida  
fundados nos campos cerradeiros e resguardam os costumes, imprimem nas práticas seus
saberes culturais, promovendo sua proteção. Mesmo com resultados parciais da pesquisa,  
é válido assegurar que, embora negligenciada, a presença feminina emerge como  
protagonista na luta, no exercício das resistências e permanência na terra.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 83260001 - AUMERI CARLOS BAMPI
Presidente - 802.146.574-34 - FLÁVIO BEZERRA BARROS - UFPA
Interno - 500.479.220-87 - LILIANE CRISTINE SCHLEMER ALCÂNTARA - UFMT
Externo à Instituição - LORRANE GOMES DA SILVA - UEG
Interno - 83215001 - MARIA ANTONIA CARNIELLO
Externo à Instituição - Profª Drª Maria Celma Borges - UFMS
Interno - 82438001 - SANDRO BENEDITO SGUAREZI
Notícia cadastrada em: 01/12/2021 16:10
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-04.applications.sig.oraclevcn.com.srv4inst1