Banca de QUALIFICAÇÃO: MICHELLE DO ESPIRITO SANTO BERTOLINO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MICHELLE DO ESPIRITO SANTO BERTOLINO
DATA : 14/10/2021
HORA: 09:00
LOCAL: ENSINO REMOTO EMERGENCIAL
TÍTULO:

 

Dieta de Brycon hilarii e seu papel na conservação das florestas inundáveis em uma Unidade de Conservação”


PALAVRAS-CHAVES:

Peraputanga, Influência de habitats, Cevas, Ictiocoria, Ciclo  
hidrológico.


PÁGINAS: 69
RESUMO:

Estudos relacionados a dieta de peixes contribuem para o conhecimento da biologia  
das espécies, além de auxiliarem na investigação da ecologia trófica, competição e  
predação dos peixes. No Pantanal, há indícios de antropização nos ambientes, que  
afetam principalmente as populações ícticas, dentre os quais as cevas em ambientes  
naturais que podem causar exagerado ganho calórico, sendo prejudicial para a saúde  
dos peixes. O objetivo deste trabalho, dividido em 2 capítulos, foi analisar a dieta de  
Brycon hilarii (Valenciennes, 1850), durante os quatro períodos hidrológicos,
verificando as relações ecológicas dos espécimes coletados nos trechos de Rio  
Paraguai/Porto Estrela, Rio Sepotuba e Estação Ecológica de Taiamã (EET). Foi  
amostrado um total de 558 exemplares em campanhas mensais, durante os quatro  
períodos do ciclo hidrológico no ano de 2013 a 2015 para o artigo 1 e no ano de 2019  
a 2020 para o artigo 2. Os exemplares foram capturados com varas de bamboo, anzol,  
linha de diferentes medidas e iscas naturais. Em seguida, acondicionados em caixas  
térmicas e encaminhados para o laboratório, onde foram aferidos os dados  
biométricos e retirados os estômagos para as análises. Os resultados do primeiro  
artigo, evidenciam que Erythrina fusca Lour. (abobreiro), é o principal item alimentar  
da dieta de B. hilarii. Durante a enchente foi observado um IAi de 95% e na cheia 60%.
Além disso, B. hilarii mostrou ser especialista em se alimentar de E. fusca durante a  
enchente, sendo generalista durante os períodos de cheia, vazante e estiagem. No  
segundo artigo, os resultados mostram que a dieta de B. hilarii é a base de milho e  
soja, nos trechos de rio Paraguai/Porto Estrela e rio Sepotuba, já na EET, a dieta  
consiste em insetos, material dissolvido e restos vegetais. Assim, concluímos que os  
períodos hidrológicos propiciam uma diversificação acentuada na oferta de itens  
alimentares. Porém, devido a monodominância de E. fusca na EET, houve uma maior  
disponibilidade deste item em sua dieta. No segundo artigo, B. hilarii pode-se concluir  
que B. hilarii se mostra como especialista-oportunista, o que significa que, na  
presença de ceva, tem preferência por este item, o que ocasiona uma desestruturação  
em sua relação trófica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 65536013 - CLAUMIR CESAR MUNIZ
Externo à Instituição - DANIEL LUIZ ZANELLA KANTEK - ICMBio
Interno - 83215001 - MARIA ANTONIA CARNIELLO
Interno - 001.165.931-99 - WILKINSON LOPES LAZARO - UFRJ
Notícia cadastrada em: 14/09/2021 15:41
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-02.applications.sig.oraclevcn.com.srv2inst1