Banca de QUALIFICAÇÃO: MÁRCIA CRISTINA BECKER

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MÁRCIA CRISTINA BECKER
DATA : 26/11/2021
HORA: 13:00
LOCAL: Sala de aula virtual do PPGEL-UNEMAT
TÍTULO:

 O INCESTO COMO VIOLAÇÃO PLASMADA DENTRO DE UMA SOCIEDADE PATRIARCAL E ESCRAVOCRATA, EM MARIA FIRMINA DOS REIS


PALAVRAS-CHAVES:

Interdito do incesto. Maria Firmina dos Reis. Personagens. Literatura.


PÁGINAS: 120
RESUMO:

Nesta pesquisa, propomos a análise da representação do incesto e o interdito que o
envolve nas obras Úrsula (1859) e “Gupeva” (1861), de Maria Firmina dos Reis. Úrsula
é o romance inaugural da literatura afro-brasileira e “Gupeva” é um conto de cunho
indianista, que narra um embate violento entre diferentes raças e culturas, a europeia e a
indígena autóctone. As duas obras firminianas, escritas no período patriarcal e
escravocrata do século XIX, configuram, através das personagens, o interdito do incesto
nos relacionamentos parentais e consanguíneos. O que se pretende analisar diante desse
tabu é a preocupação, no passado e ainda no presente, da persistência da prática de
relações sexuais entre indivíduos consanguíneos, em desprezo às proibições severas
existentes. Essas práticas são objetos tenazes de discursos, registrados nos arquivos da
memória, na imprensa e na literatura. Nas duas narrativas firminianas, há marcas de
vivências impensáveis, de um ódio exacerbado à realidade, com intensas experiências
persecutórias, principalmente no que tange às mulheres e à opressão que sofrem. Logo,
objetivamos evidenciar o caráter de denúncia e crítica aos padrões oitocentistas que
possibilitavam um sistema de comportamento opressor e de violação dos direitos,
principalmente das mulheres, dentro desses relacionamentos parentais e matrimoniais a
que eram impostas e, consequentemente, às relações incestuosas. Para fundamentar a
análise desta pesquisa qualitativa, de caráter exploratório, serão utilizados conceitos
sobre a personagem de ficção estabelecidos por Antonio Candido (2014), Anatol
Rosenfeld (2014), Oscar Tacca (1976), Beth Brait (1985); no que se refere ao incesto e
as estruturas elementares do parentesco, teorias propostas por Claude Lévi-Strauss
(2012), Sigmund Freud (2019), Laure Razon (2007), Regina Biscaro (2003).
Pesquisadores da escritora como José Nascimento Morais Filho (1975), Zahidé
Lupinacci Muzart (2018), Eduardo de Assis Duarte (2005), Norma Telles (2008), Luiza
Lobo (1993), Constância Lima Duarte (2017), Dilercy Aragão Adler (2014), Lucciani
M. Furtado (2017), Algemira de Macêdo Mendes (2016), Regia Agostinho da Silva
(2013), Rafael Balseiro Zin (2019), entre outros, acrescem na sustentação das
argumentações que tencionamos alcançar.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - JULIANA SANTINI - UNESP
Presidente - 002.799.588-70 - SYLVIA HELENA TELAROLLI DE ALMEIDA LEITE - USP
Interno - 036.234.248-20 - TIEKO YAMAGUCHI MIYAZAKI - UNESP
Notícia cadastrada em: 08/10/2021 08:03
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-04.applications.sig.oraclevcn.com.srv4inst1