Banca de DEFESA: EDUARDO MOREIRA LEITE MAHON

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EDUARDO MOREIRA LEITE MAHON
DATA : 28/08/2020
HORA: 09:00
LOCAL: UNEMAT/Campus Universitário de Tangará da Serra
TÍTULO:

GERAÇÃO COXIPÓ: O NASCIMENTO DE UMA NOVA GERAÇÃO LITERÁRIA EM MATO GROSSO

 


PALAVRAS-CHAVES:

Geração literária. Modernidade e tradição. Literatura mato-grossense contemporânea.


PÁGINAS: 233
RESUMO:

O final dos anos 1980 impactou a capital mato-grossense gerando iniciativas culturais de reação. As transformações no cenário urbano, os fluxos migratórios, a decadência da hegemonia cultural da Casa Barão de Melgaço e o fortalecimento de um novo centro intelectual que gravitava em torno da Universidade Federal de Mato Grosso foram responsáveis pelo nascimento de uma nova geração literária, intitulada neste trabalho “Geração Coxipó”. Jovens irreverentes, reunidos em torno de publicações coletivas, inspirados pelo inconformismo antiacadêmico de Wlademir Dias-Pino, improvisaram as primeiras publicações e se firmaram a partir do lançamento da Revista Vôte! e de outros periódicos. O percurso literário dos autores da Geração Coxipó é marcado pela ambivalência. De um lado, batiam-se contra a estética passadista ligada à Academia Mato-grossense de Letras; de outro, identificando-se com a modernidade, rechaçavam as transformações advindas do processo de migração, ocupação e questionamento da tradição local.

O referencial teórico usado na pesquisa recobra o conceito de geração de Maffesoli, os campos de poder simbólico e as definições de hegemonia de Bourdieu (2018) e as definições para modernidade e antimodernidade de Latour (2013) e Compagnon (2011). Já com relação à construção identitária brasileira na literatura e sua ambivalência no modernismo, foi consultada a bibliografia de Antonio Candido (2017), Carlos Berriel (2000), Flora Süssekind (1994), Gilberto Mendonça Telles (1972), Sérgio Miceli (2012), entre outros críticos. Especificamente quanto à literatura mato-grossense, Rubens de Mendonça (1970), Hilda Gomes Dutra Magalhães (2002), Mário Cézar Silva Leite (2005), Marinei Almeida (2012) e Carlos Gomes de Carvalho (2004), além dos periódicos do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, da Academia Mato-grossense de Letras de 1922 a 2015 e das revistas literárias Vôte!, Estação Leitura e Fagulha.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 82424001 - WALNICE APARECIDA MATOS VILALVA
Interno - 37107001 - OLGA MARIA CASTRILLON MENDES
Externo à Instituição - MANOEL MOURIVALDO SANTIAGO ALMEIDA - USP
Notícia cadastrada em: 27/08/2020 18:21
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-02.applications.sig.oraclevcn.com.srv2inst1