Banca de DEFESA: Igor Neves de Oliveira

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : Igor Neves de Oliveira
DATA : 20/04/2022
HORA: 09:00
LOCAL: ENSINO REMOTO EMERGENCIAL
TÍTULO:

 

 

A MÁ QUALIDADE DO AR NA REGIÃO CENTRO-NORTE DO BRASIL E SEU IMPACTO NA SAÚDE

 

 


PALAVRAS-CHAVES:

 

 

poluição atmosférica, queimadas, incêndios florestais, material particulado fino, indicadores de saúde, indicadores ambientais, fração atribuível.  


PÁGINAS: 50
RESUMO:

No Brasil, registros de focos de calor se intensificam ano após ano e municípios localizados nas partes central e norte apresentam as porções territoriais mais atingidas. Esses eventos emitem para a atmosfera partículas finas (PM2,5) que se depositam no trato respiratório e são facilmente absorvidas pelo nosso organismo, o que gera aumento no número de hospitalizações e mortes prematuras por doenças cardiopulmonares. Embora essa problemática ambiental seja similar a problemática enfrentada por grandes centros urbanos, a atenção sobre o impacto da exposição na saúde é mais direcionada para poluição urbana. Este trabalho objetiva através de dois capítulos, caracterizar a magnitude de exposição a má qualidade do ar decorrente da emissão de partículas finas (PM2,5) por queimadas e incêndios florestais e quantificar o seu impacto na saúde cardiopulmonar da região Centro-Norte, entre 2010-2019. Para caracterizar a exposição a má qualidade do ar, no primeiro capítulo propomos de acordo com o limite recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a utilização de um indicador do tempo de exposição às concentrações inadequadas de PM2,5, nas regiões Amazônica e Centro-Oeste. O indicador se trata do número percentual de dias cujas concentrações excederam o limite de 15µg/m³. Verificou-se que maiores extensões territoriais com os maiores percentuais anuais de dias com qualidade inadequada do ar ocorreram em 2015. Entre todo o período analisado, os meses entre agosto e outubro são o de percentuais mensais mais elevados e que alcançam maior extensão territorial. O estado do Amazonas e a região conhecida como arco do desmatamento concentraram os dez municípios com os piores percentuais em toda a década. O indicador proposto é reprodutível e evidencia o tempo de exposição a má qualidade do ar. Nossa proposta demonstrou exposição a longos períodos de no mínimo três meses por mais de 20 milhões de habitantes. No segundo capítulo, para quantificar o impacto da exposição, estimamos o número e frações de morbimortalidades por doenças cardiopulmonares atribuíveis ao PM2,5, em sete municípios localizados na região Amazônica, sendo seis do arco do desmatamento. Frações atribuíveis de internações cardiopulmonares foram estimadas a partir de um procedimento em três estágios e para estimativas de mortalidade cardiopulmonar, seguiu-se a orientação metodológica da Organização Mundial de Saúde. Atribuiu-se à exposição, 1348 internações (1,1%), 3642 (12%) óbitos, ambos por doenças cardiopulmonares e 321 (17%) óbitos por câncer de pulmão. Porto Velho-RO teve as maiores frações atribuíveis para os três desfechos selecionados. Devido a elevadas concentrações de PM2,5 provenientes da queima de biomassa, municípios da região Amazônica possuem maiores estimativas de frações atribuíveis para desfechos de morbimortalidades cardíacas e pulmonares, comparadas a cidades da região sudeste onde a exposição a esse poluente é mais moderada. Os achados desta dissertação demonstram que a exposição aos poluentes emitidos por queimadas e incêndios florestais na região Centro-Norte do Brasil, geram prejuízos à saúde que merecem ser olhados com mais atenção, sobretudo pelas esferas governamentais, priorizando esforços políticos, com recursos e ações que vise reduzir os longos períodos de exposição à má qualidade do ar e a tomada das melhores medidas de proteção à saúde dos habitantes da Amazônia e Centro-Oeste.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 82314001 - ELIANE IGNOTTI
Interno - 118188001 - ERNANDES SOBREIRA OLIVEIRA JUNIOR
Externo ao Programa - 181.924.407-53 - SANDRA DE SOUZA HACON - Fiocruz - RJ
Externo ao Programa - 116910001 - SHAIANA VILELLA HARTWIG
Notícia cadastrada em: 19/04/2022 17:02
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-04.applications.sig.oraclevcn.com.srv4inst1