Banca de DEFESA: ANDERNICE DOS SANTOS ZANETTI ESPINOSA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANDERNICE DOS SANTOS ZANETTI ESPINOSA
DATA : 18/07/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Sala virtual google.meet
TÍTULO:

DIVERSIDADE, PREVALÊNCIA E DISTRIBUIÇÃO DE  
ENTEROPARASITAS EM DIFERENTES HOSPEDEIROS  
DE TRÊS BIOMAS BRASILEIROS


PALAVRAS-CHAVES:

Protozoários; Helmintos; Parasitas intestinais; Zoonose;  
Brasil


PÁGINAS: 188
RESUMO:

ZANETTI, Andernice dos Santos. Diversidade, prevalência e distribuição de  
enteroparasitas em diferentes hospedeiros de três biomas brasileiros.  
Cáceres: UNEMAT, 2021. 186 p. (Tese – Doutorado em Ciências Ambientais)1
.
Objetivo: Analisar a prevalência, diversidade e distribuição de enteroparasitas  
em animais domésticos e silvestres provenientes de três biomas brasileiros  
(Pantanal, Amazônia e Cerrado), e as suas interações com os seres humanos.  
Métodos: Estudo de diversidade biológica e de hospedeiros, com inferências de  
relacionamento entre espécies de organismos. Foram utilizados métodos de  
revisão sistemática e meta-análise de dados previamente publicados no Brasil
acerca de infecções por Blastocystis spp. e Entamoeba spp. Foram realizadas  
coletas de 410 amostras fecais de animais domésticos e silvestres de regiões  
dos biomas brasileiros, Pantanal (155 amostras), Amazônia (131) e Cerrado
(124). Exames coprológicos foram realizados com as técnicas de Hoffman e  
Sheather. O teste qui-quadrado foi usado para avaliar diferenças significativas.  
O índice de diversidade de Shannon mediu a diversidade, abundância e  
equitabilidade das espécies de parasitas. Resultados: As análises  
determinaram uma prevalência geral combinada de infecções por Blastocystis
spp. em humanos no Brasil de 24% e por Entamoeba spp. de 22%. Dentre os
animais, os mamíferos resultaram os mais prevalentes nas infecções por ambos  
protozoários. Os subtipos de Blastocystis spp. identificados nos diferentes
hospedeiros foram os compreendidos desde o ST1 até ST8. Dentre as espécies  
identificadas de Entamoeba spp., E. coli resultou a mais prevalente com 86,5%,  
E. dispar (7,9%), E. histolytica (3,1%) e E. hartmanni (1,9%). A prevalência geral  
de infecção por parasitas intestinais nas 280 amostras coletadas dos diferentes  
animais domésticos de produção e silvestres no estado foi de 79,64%. Os  
animais domésticos de produção apresentaram uma positividade de 87% e os  
animais silvestres 51%. Blastocystis spp. foi o protozoário mais prevalente  
seguido do Complexo Entamoeba histolytica. Entre os helmintos os  
ancilostomídeos foram os mais prevalentes, seguido de Ascaris spp. A  
diversidade de espécies foi alta em todos os biomas, porém a análise de  
diversidade e equitabilidade de Shannon registrou maiores índices no bioma  
Pantanal (H=2,3143; E=0,7381), seguido da Amazônia (H=2.1483; E=0,7933) e  
Cerrado (H=1,9487; E=0,7384). A prevalência geral de infecção por parasitas  
intestinais nas 130 amostras coletadas de cães dos biomas foi de 57%. Entre os  
helmintos os ancilostomídeos foram os mais prevalentes, seguido de Toxocara
spp. Os protozoários mais prevalentes foram Blastocystis spp. seguido de  
Giardia spp. e Entamoeba coli. A diversidade de espécies foi alta em todos os  
biomas e não houve diferença estatística significativa entre as prevalências dos  
biomas estudados. Conclusões: Através da meta-análise foi observada uma  
alta prevalência de infecção por Blastocystis spp. e Entamoeba spp. na  
população brasileira. Blastocystis spp. apresentou prevalências de até 40% nas  
regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Entamoeba spp. com prevalências de até  
50% nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Embora existam porcentagens  
de prevalências contrastantes entre as diferentes regiões, existe uma ampla  
10
distribuição de Blastocystis spp. e Entamoeba spp. no Brasil, o que reflete os  
problemas sanitários ainda existentes em todo país. Entre os animais, os  
mamíferos exibiram as taxas de prevalência de Entamoeba spp. e Blastocystis
spp. mais altas, e os animais domésticos de criação e os silvestres em cativeiro  
são possivelmente os mais relacionados à transmissão desses protozoários  
intestinais no Brasil. Nas análises coprológicas das amostras coletadas de  
diferentes animais, domésticos de fazenda, pets (cães) e silvestres, nos três  
biomas, foi observada uma alta prevalência e diversidade de enteroparasitas. A  
análise de diversidade de espécies revelou a presença de 24 espécies de  
parasitas, sendo Blastocystis spp. e o complexo Entamoeba histolytica os  
protozoários mais prevalentes, e ancilostomídeos, Ascaris spp. e Toxocara spp.  
os helmintos de maior prevalência. A semelhança de prevalências e diversidade  
de espécies encontrada nos três biomas estudados pode ser explicada pelas  
condições de temperatura e umidade, práticas de manejo nas propriedades  
rurais e programas sanitários de controle de agentes infecciosos praticamente  
iguais nos três municípios a que pertencem. A sobreposição de áreas contendo  
animais silvestres e animais domésticos neste estudo aponta para o risco de  
troca de parasitas entre as espécies. Nossos resultados evidenciam a  
necessidade de maiores investigações e implantação de medidas de controle de  
infecções enteroparasitárias de áreas rurais próximas a fragmentos de florestas,  
pois os animais domésticos mantêm as infecções em ambientes domésticos e,  
assim, podem ser responsáveis pela transmissão de diversos parasitas à  
animais silvestres que vivem nas proximidades, bem como para os humanos, o  
que significa que o risco de doenças em animais e zoonoses é alto nessas áreas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 61265003 - ANTONIO FRANCISCO MALHEIROS
Interno - 83200001 - AUREA REGINA ALVES IGNACIO
Externo à Instituição - ELIANE IGNOTTI - UNEMAT
Externo à Instituição - HERAKLES ANTONIO GARCIA PEREZ - USP
Externo ao Programa - 83182001 - LUCIANA MELHORANCA MOREIRA AÑEZ
Notícia cadastrada em: 18/06/2021 15:37
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-03.applications.sig.oraclevcn.com.srv3inst1