Banca de QUALIFICAÇÃO: EDIVALDO LOURIVAL MAMPUCHE

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EDIVALDO LOURIVAL MAMPUCHE
DATA : 12/05/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Sala Virtual
TÍTULO:

O CÉU DO POVO MANOKI E SEUS ENSINAMENTOS SOBRE A TERRA

Este trabalho trata-se de uma investigação sobre os marcadores de tempo Manoki e faz um registro etnográfico de histórias, aprendizados, observações, rituais e festas culturais para a compreensão do universo Manoki e sua localização do espaço. Por meio de estratégias de registro podem-se relacionar as concepções sobre tempo, espaço e ritual, percebendo como os Manoki através da observação do céu e da natureza se orientam e como consequência de aprendizados sobre as histórias ouvidas olham para o céu à noite e consegue fazer uma leitura de compreensão de tudo que precisa para viver no tempo e espaço. Esta análise leva a consideração da perspectiva nativa dos Manoki e as transformações em seu mundo e o papel que esses registros podem ter para esse povo. Este trabalho visa fortalecer os saberes e fazeres tradicionais e que estes consolidem entre os jovens para o fortalecimento da identidade do próprio povo. Através disso podemos trabalhar a as áreas do conhecimento nas diversas formas dos saberes reais, seja ela na observação das estrelas, do céu e o tempo de fazer as construções das casas e das roças. Existem além de marcadores de tempo os códigos de sinais aprendidos, esses são percebidos pelo canto de uma ave ou a lua ou sol com um arco íris ao seu redor, ou ainda um sol amarelado no final da tarde, esses códigos em muitas vezes para os Manoki são agouros, alguém pode ficar doente ou alguém do povo pode ir à morte.  

 


PALAVRAS-CHAVES:

Manoki; Saber e Fazer; Etnomatemática; Marcadores de tempo


PÁGINAS: 50
RESUMO:

Este trabalho trata-se de uma investigação sobre os marcadores de tempo Manoki e faz um registro etnográfico de histórias, aprendizados, observações, rituais e festas culturais para a compreensão do universo Manoki e sua localização do espaço. Por meio de estratégias de registro podem-se relacionar as concepções sobre tempo, espaço e ritual, percebendo como os Manoki através da observação do céu e da natureza se orientam e como consequência de aprendizados sobre as histórias ouvidas olham para o céu à noite e consegue fazer uma leitura de compreensão de tudo que precisa para viver no tempo e espaço. Esta análise leva a consideração da perspectiva nativa dos Manoki e as transformações em seu mundo e o papel que esses registros podem ter para esse povo. Este trabalho visa fortalecer os saberes e fazeres tradicionais e que estes consolidem entre os jovens para o fortalecimento da identidade do próprio povo. Através disso podemos trabalhar a as áreas do conhecimento nas diversas formas dos saberes reais, seja ela na observação das estrelas, do céu e o tempo de fazer as construções das casas e das roças. Existem além de marcadores de tempo os códigos de sinais aprendidos, esses são percebidos pelo canto de uma ave ou a lua ou sol com um arco íris ao seu redor, ou ainda um sol amarelado no final da tarde, esses códigos em muitas vezes para os Manoki são agouros, alguém pode ficar doente ou alguém do povo pode ir à morte.  


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 45557013 - JOÃO SEVERINO FILHO
Interno - 86016007 - ADAILTON ALVES DA SILVA
Externo à Instituição - SINVAL DE OLIVEIRA - UFT
Notícia cadastrada em: 19/04/2022 09:10
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-04.applications.sig.oraclevcn.com.srv4inst1