Banca de QUALIFICAÇÃO: JAQUELINE AMORIM DE OLIVEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JAQUELINE AMORIM DE OLIVEIRA
DATA : 20/12/2021
HORA: 13:30
LOCAL: Sala de vídeo conferência do Campus
TÍTULO:

PLANTAS DO FUTURO: ESPÉCIES UTILIZADAS EM RESTAURAÇÃO FLORESTAL APRESENTAM AJUSTES ESTRUTURAIS DE RESISTÊNCIA AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS?


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chaves: Anatomia funcional, ajuste estruturais, mudanças climáticas, Cerrado-Amazônia.

 


PÁGINAS: 38
RESUMO:

A Floresta Amazônica se expande rapidamente sobre o Cerrado, e essa expansão, está relacionada as condições ambientais e climáticas, juntamente com as características morfofisiológicas, que compõem um conjunto de parâmetros úteis para entendermos as estratégias dos vegetais, assim como, contribuem para projetar as respostas às perturbações antrópicas e mudanças climáticas. Arguelho et al. (2021) com suporte da modelagem e modelos climáticos globais, sugeriu espécies como ‘’plantas do futuro’’, ou seja, espécies que se mostraram promissoras para a restauração ecológica, considerando os cenários futuros (otimista e pessimista) na transição Cerrado-Amazônia. Aqui, combinamos o estudo de 25 características anatômicas e hidráulicas para entender as relações estrutura-função da folha e do xilema em “plantas do futuro” da Transição Cerrado-Amazônia em comparação com as plantas de savana amazônica. Este trabalho visa responder as seguintes perguntas: (i) As ‘’plantas do futuro apresentam características que convergem para o xeromorfismo quando comparadas as espécies da savana amazônica? (ii) Quais as espécies que apresentam ajustes estruturais que refletem um sistema hidráulico seguro baseado na anatomia do xilema secundário? (iii) Baseado nos ajustes estruturais da folha e do lenho das ‘’plantas do futuro”, quais seriam interessantes para utilização na restauração ecológica? O material da folha e do lenho foi processado de acordo com o padrão das técnicas da anatomia vegetal. Posteriormente, foram realizadas análises ao microscópio óptico, para medição dos atributos morfoanatômicos. Os atributos que agruparam as espécies da SA e uma das “plantas do futuro” estão relacionados a menor perda de água pelas folhas e maior segurança no transporte de água via xilema secundário, sendo eles: epiderme abaxial, cutícula abaxial, índice de agrupamento, densidade de vaso, densidade da madeira, percentual de parênquima axial, percentual de vaso, espessura da parede da fibra, espessura da parede do vaso. Entretanto, os atributos que agruparam as espécies do FFLO e FSEC refletem maior transpiração nas folhas apresentando maiores áreas foliares e densidade estomática, e no xilema os elementos de vasos apresentam maiores diâmetros, com maior percentual de fibras e percentual de parênquima radial o que pode refletir em eficiência no transporte de água, isso pode ser devido as espécies estar localizadas em ambientes com maior disponibilidade hídrica.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 117000004 - MARCO ANTONIO CAMILLO DE CARVALHO
Externo ao Programa - 221762011 - JULIANA DE FREITAS ENCINAS DARDENGO
Notícia cadastrada em: 14/01/2022 14:37
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-01.applications.sig.oraclevcn.com.srv1inst1