Banca de DEFESA: DANIELE PAULA MALTEZO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DANIELE PAULA MALTEZO
DATA : 20/01/2021
HORA: 08:00
LOCAL: Alta Floresta, MT.
TÍTULO:

Diversidade Genética e Citogenotoxicidade de Copaifera langsdorffii Desf. (Fabaceae) nativa da Amazônia Mato-Grossense


PALAVRAS-CHAVES:

Copaíba, Variabilidade genética, ISSR.


PÁGINAS: 77
RESUMO:

A Floresta Amazônica é a maior floresta tropical do mundo, sendo que dos 60% pertencentes ao território brasileiro, um terço está localizada no estado de Mato Grosso. Estima-se que cerca de 20% de toda a biodiversidade do planeta encontra-se na Amazônia. Dentre as espécies presentes na Amazônia destacamos a Copaifera langsdorffii Desf., explorada principalmente para extração de seu óleo-resina e madeira, e também para ser utilizada na medicina popular no tratamento diversas enfermidades. O manejo inadequado da C. langsdorffii, bem como a fragmentação florestal podem provocar a diminuição do número de indivíduos nas populações, o que em longo prazo pode ocasionar a perda da variabilidade genética. Este estudo teve como objetivo realizar a caracterização molecular de 27 indivíduos de C. langsdorffii coletados na Amazônia Mato-Grossense, e avaliar o potencial tóxico, citotóxico e genotóxico da espécie. Para avaliação da diversidade genética foram utilizados 12 primers ISSR, que amplificaram 106 fragmentos, sendo 98,11% polimórficos. O conteúdo de Informação polimórfica (PIC) de cada primer variou entre 0,45 e 0,81. A média de dissimilaridade encontrada foi de 0,49. A maior variabilidade genética encontra-se dentro dos grupos e não entre eles. O percentual de polimorfismo, valores de dissimilaridade genética e índices de diversidade genética, apontam que há alta variabilidade genética entre os indivíduos de C. langsdorffii, sugerindo que os primers ISSR são eficientes na detecção de polimorfismo nesta espécie, e que a população apresenta potencial para compor programas que visem a preservação da espécie e capacidade de integrar bancos de germoplasma. A avaliação do potencial tóxico, citotóxico e genotóxico foi realizada por meio do teste Allium cepa. Foram avaliados os extratos aquosos (infuso e decocto) obtidos da casca do caule e das folhas de C. langsdorffii, com cinco concentrações distintas e dois controles, sendo a água destilada (controle negativo) e o glifosato a 1% (controle positivo). Foram avaliados o crescimento do sistema radicular (CSR), o índice mitótico (IM), e a frequência de alterações cromossômicas e/ou anormalidades nas fases da divisão celular. As maiores reduções do CSR foram encontradas nos extratos decoctos (casca do caule e folhas). Para a casca do caule, ambos os extratos na concentração 0,032 mg mL -1 apresentaram menor IM. As concentrações 0,002 mg mL-1 do extrato infuso da casca, e 0,004 mg mL-1 do extrato decocto das folhas, apresentaram respectivamente 4,19 e 3,55% de aberrações celulares (alterações cromossômicas e/ou anormalidades nas fases da divisão celular), seguidos do controle positivo das folhas com 5,71%. Os resultados evidenciaram o potencial tóxico, citotóxico e genotóxico dos extratos aquosos de C. langsdorffii sobre o organismo teste.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 32143004 - ANA APARECIDA BANDINI ROSSI
Interno - 70141009 - OSCAR MITSUO YAMASHITA
Externo ao Programa - 292282001 - JULLIANE DUTRA MEDEIROS
Externo ao Programa - 221762011 - JULIANA DE FREITAS ENCINAS DARDENGO
Externo à Instituição - ANDREIA BARCELOS PASSOS LIMA GONTIJO - UFES
Notícia cadastrada em: 05/01/2021 08:15
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-04.applications.sig.oraclevcn.com.srv4inst1