Banca de DEFESA: HEITOR ANTONIO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : HEITOR ANTONIO DA SILVA
DATA : 28/02/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Campus Jane Vanini, Bloco I, Cáceres MT
TÍTULO:

PARAMETROS GENÉTICOS DA RESISTÊNCIA DO FEIJÃO COMUM AO FITOPATÓGENO CAUSADOR DO MOFO BRANCO


PALAVRAS-CHAVES:

Phaseoulus vulgaris L.; Sclerotinia sclerotiorum Lib. de Bary; teste do canudo em plântulas.


PÁGINAS: 60
RESUMO:

O feijão comum (Phaseolus vulgaris L.) é uma leguminosa com grande importância na alimentação humana para todas as classes sociais, especialmente para os mais carentes, devido ao seu baixo custo e grandes qualidades nutritivas e grande importância econômica e social, sendo o seu cultivo acometido por diversos fatores bióticos e abióticos que diminuem a produtividade e encarecem o produto ao consumidor final. Entre os principais agentes patogênicos, a Sclerotinia sclerotiorum Lib. de (Bary), fitopatógeno causador do mofo branco destaca-se pela sua ampla disseminação, potencial danos a lavoura e estruturas de resistência. Este trabalho teve como objetivo determinar os fatores genéticos que compõem a resistência fisiológica do feijoeiro comum ao fitopatógeno causador do mofo branco. Foram obtidos os cruzamentos entre genótipos de feijão comum BGF 13 X BGF 89, BGF 20 X PI 207262 e BGF 20 X BRS FC 402, contrastantes quanto a resistência ao mofo branco previamente selecionados e de pools gênicos de origem diferentes, obtendo-se a geração F1 e geração segregante F2. As plantas resultantes em F2 foram inoculadas com um isolado do fitopatógeno causador do mofo branco pelo método “seedling straw test” (teste do canudo em plântulas) e as variáveis nota ao 5° dia, Área Abaixo da Curva de Progresso da Doença (AACPD) e Relação Doença Planta (RDP) foram usadas para determinar a variância ambiental, variância genotípica, variância fenotípica, herdabilidade no sentido amplo e número de genes através do teste de escala conjunta realizada no software estatístico genes. A variância ambiental representou, no geral, grande parte da variância fenotípica, indicando que a característica resistência ao mofo branco é moderada a altamente influenciável pelo ambiente em acordo com o já relatada em estudos anteriores.  A variância genotípica foi expressiva apenas para a variável RDP nos cruzamentos entre BGF 13 X BGF 89 e BGF 20 X PI 207262, moderadamente expressiva para variável Nota ao 5° dia e AACPD para o BGF 20 X PI 207262. A geração segregante F2 apresentou indivíduos com resistência e susceptíveis, indicando a eficiência da determinação dos indivíduos resistente pelo método do canudo em plântulas e a natureza poligênica da resistência ao mofo branco. A herdabilidade no sentido amplo foi moderada a alta para a resistência ao mofo branco. A estimativa indicou o número igual ou maior a 2 genes na expressão da resistência ao mofo branco, indicando a ação de poligenes na determinação da resistência ao mofo branco.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 285519001 - THIAGO ALEXANDRE SANTANA GILIO
Interno - 239934003 - KELLY LANA ARAUJO
Externo à Instituição - RAFHAEL FELIPIN AZEVEDO - UEM
Notícia cadastrada em: 28/01/2022 15:02
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-02.applications.sig.oraclevcn.com.srv2inst1