Banca de DEFESA: FÁBIO JUNIO RIBEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FÁBIO JUNIO RIBEIRO
DATA : 11/12/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Universidade do Estado de Mato Grosso - Barra do Bugres
TÍTULO:

QUIMITOON: QUÍMICA-COM-CARTOONS


PALAVRAS-CHAVES:

Ensino de Química. Tecnologias Digitais. Cartoons.


PÁGINAS: 115
RESUMO:

As tecnologias digitais estão presentes na maior parte das ações humanas contemporâneas, modificando a forma como nos comunicamos e aprendemos. Em se tratando especificamente do ensino de Química, foco desta pesquisa, questões que discutem a presença das tecnologias digitais nos processos de ensino e de aprendizagem ainda são pouco exploradas. Assim, o objetivo desta pesquisa foi compreender a influência das tecnologias digitais utilizadas na produção de cartoons para a aprendizagem de Química. Para tanto, desenvolvemos, entre os dias 12 de março e 04 de abril do ano de dois mil e dezenove, na Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), no Núcleo Pedagógico de Vila Rica, uma proposta de estudos intitulada Quimitoon. Os participantes foram alunos do 3º ano do Ensino Médio Regular da Escola Estadual Professora Maria Esther Peres. Os referenciais teóricos que nortearam a pesquisa foram o sistema Seres-Humanos-Com-Mídias, a Teoria da Atividade e o construto Seres-Humanos-Com-Mídias. Os dados produzidos foram analisados, qualitativamente, com base no método de indução analítica e no sistema Seres-Humanos-Com-Mídias. Para a produção dos dados, utilizamos manuscritos, observações, entrevistas, questionários e análise de áudios e vídeos das atividades realizadas durante o desenvolvimento da proposta de estudos. O processo de indução analítica dos dados levou à emergência de três temas: os possíveis papéis que poderiam ser ocupados pelas tecnologias digitais dentro do sistema Seres-Humanos-Com-Mídias; a aprendizagem de Química relacionada à produção dos cartoons; a possibilidade de reorganização da sala de aula proporcionada pela proposta de estudo com essas tecnologias. Durante as análises dos dados do primeiro tema, os diferentes usos das tecnologias digitais indicaram o surgimento de miniciclones de aprendizagens expansivas com destaque a um possível protagonismo delas, devido à possibilidade de elas atuarem em diversos papéis, sob a ótica de um sistema Seres-humanos-com-mídias. Em relação ao segundo tema, que discute o processo de aprendizagem dos conteúdos de Química, não constatamos o surgimento de miniciclones de aprendizagens expansivas. No entanto, observamos que ocorreram as aprendizagens dos tipos I e II caracterizadas por Bateson (1972). Os dados mostraram que três fatores podem ter contribuído para isso: a internet no papel de comunidade; a falta de fluência dos alunos em relação ao uso das tecnologias digitais na aprendizagem de Química; e a proposta de estudos adotada pelo pesquisador. Por fim, no que tange ao terceiro tema, os dados analisados indicaram que as tecnologias digitais, utilizadas na pesquisa, geraram uma reorganização do contexto de sala de aula, proporcionando um ambiente diferente do padrão vivenciado até então pelos alunos participantes do Quimitoon. As contribuições para aprendizagem e a dinamicidade das tarefas desenvolvidas em aula foram as principais características dessa nova forma de organização da sala de aula. Ou seja, as tecnologias digitais, em conjunto com as metodologias ativas utilizadas na proposta de estudos mostraram-se importantes nessa reorganização. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 122182002 - DAISE LAGO PEREIRA SOUTO
Interno - 253963001 - JOSE WILSON PIRES CARVALHO
Interno - 121144002 - CLAUDIA LANDIN NEGREIROS
Externo à Instituição - MARCELO FRANCO LEÃO - IFPI
Notícia cadastrada em: 08/11/2019 09:55
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-01.applications.sig.oraclevcn.com.srv1inst1