Banca de DEFESA: FLAVIA HELOISA NOGUEIRA FRANCISCO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FLAVIA HELOISA NOGUEIRA FRANCISCO
DATA : 22/02/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Virtual Google Meet
TÍTULO:

HIPERFOCO DO TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA COMO ESTRATÉGIA DIDÁTICA DA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA


PALAVRAS-CHAVES:

Transtorno do Espectro Autista; Hiperfoco; Intervenção Psicopedagógica; Aprendizagem de Matemática.


PÁGINAS: 267
RESUMO:

Objetivamos estudar as possibilidades do uso do hiperfoco do Transtorno do Espectro Autista (TEA) como estratégia didática, para mediação da aprendizagem de matemática, de um estudante autista, atualmente com 09 anos de idade, no município de Juína/MT. O problema da pesquisa consistiu em saber: como utilizar o hiperfoco do estudante autista para mediação da aprendizagem de matemática do 3° ano do Ensino Fundamental? Para responder ao problema, realizamos: a) Revisão Sistemática de Literatura, que nos permitiu fazer a contextualização e subsidiar a discussão dos dados, com uso da Análise de Conteúdo de Bardin (1977); b) Observação não estruturada que permitiu identificar o hiperfoco do estudante e; c) Estudo de Caso Único com as seguintes técnicas de coleta de dados: anamnese com a mãe, que possibilitou o conhecimento do contexto histórico do nascimento do estudante; entrevista semiestruturada com a mãe, que nos forneceu informações referentes às características estudantis do sujeito participante da pesquisa e; intervenção psicopedagógica, para a identificação do uso do hiperfoco do autismo como estratégia didática. Como resultados da pesquisa destacamos: a) identificação do hiperfoco em animais (contexto de fazenda) e constatação de que o uso didático do hiperfoco do estudante autista permite compreender como ele estrutura os sete processos mentais básicos para aprendizagem da Matemática; b) identificação, durante a intervenção, de que o estudante começou a estabelecer uma ordem para a contagem (seriação), pois, antes ordenava os objetos considerando apenas a espécie (comparação), demonstrou ter constituído o processo de ordenamento lógico (sequenciação), não deixando nenhum objeto de fora da sua contagem,  passando a estabelecer uma “correspondência” entre os objetos e contando-os em conjuntos (classificação); c) identificamos que o estudante ainda não desenvolveu processos relacionados à “inclusão” (entendimento de que a última palavra falada corresponde à totalidade dos objetos contados) e à “conservação” (que a quantidade obtida não irá mudar se a configuração espacial dos objetos que estão sendo contados for alterada), porém, esses processos estão em desenvolvimento; d) que nas pesquisas nacionais o hiperfoco do autista tem sido pouco estudado. Portanto, podemos concluir que o hiperfoco pode ser utilizado, na mediação da aprendizagem de matemática, como estratégia didática de intervenção psicopedagógica, pois permite identificar os setes processos mentais básicos de aprendizagem da matemática, que não são percebidos no contexto de escolarização do estudante autista.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 131867001 - KILWANGY KYA KAPITANGO A SAMBA
Interno - 90384008 - FERNANDO SELLERI SILVA
Externo à Instituição - RITA DE FÁTIMA DA SILVA ROSAS DE CASTRO - UFMS
Notícia cadastrada em: 17/02/2022 13:59
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-04.applications.sig.oraclevcn.com.srv4inst1