Banca de QUALIFICAÇÃO: MILLAANY FELISBERTA DE SOUZA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MILLAANY FELISBERTA DE SOUZA
DATA : 06/09/2019
HORA: 15:00
LOCAL: SALA DE VÍDEO CONFERÊNCIA CAMPUS 2
TÍTULO:

O ENSINO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DA NATUREZA NOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DA TURMA 2011-2016 DA FACULDADE INDÍGENA INTERCULTURAL - FAINDI - UNEMAT


PALAVRAS-CHAVES:

Ensino de Ciências e Matemática. Educação Escolar Indígena. Multiculturalismo. 


PÁGINAS: 80
RESUMO:

A educação escolar indígena no Brasil desde os primórdios da colonização dinamiza-se entre dilemas e desafios, pois trilhar pelos caminhos dessa modalidade é adentrar no campo da construção e reconstrução de saberes, poderes e sentidos dos sujeitos com o meio no qual estão inseridos. Nesta perspectiva, o objetivo desta pesquisa é compreender, utilizando-se Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), da turma do período de 2011-2016, da Faculdade Indígena Intercultural – FAINDI, como o ensino de Ciências Matemáticas e da Natureza está sendo abordado nestes trabalhos. De natureza qualitativa, do tipo documental, busca-se nesta investigação identificar informações factuais em documentos como: RCNEI, BNCC, CF, OCDE - MT, PPC do Curso de Licenciatura Intercultural Indígena – Ciências Matemáticas e da Natureza (FAINDI – UNEMAT), e os TCC desta turma. Ao realizarmos qualquer estudo de natureza antropológica, como é este o caso, há a necessidade de não agir de forma etnocêntrica, colocando convicções e saberes mediados acima da tradição do outro. Esta pesquisa se justifica porque faz- se necessário analisar e refletir sobre as percepções dos povos indígenas acerca dos conceitos científicos, sem julgamento de valor, fundado nas premissas da ciência moderna. Apesar das crenças em saberes tradicionais serem intrínsecas aos diferentes grupos sociais existentes, é preciso enfatizar que, diferentemente de tais conhecimentos, os saberes científicos são definidos a partir de comprovações, não demonstrando tanta tolerância e lacunas para o ceticismo.  Sabe-se, pois, que por muito tempo, a ciência ignorou tais conhecimentos devido à ausência de comprovação mediada por estudos científicos. Todavia, é possível perceber que atualmente este cenário tem mudado, pois muitos estudos estão sendo realizados em comunidades tradicionais (aldeias, por exemplo) e procuram recuperar essas alternativas conhecidas entre os habitantes daquele local. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 121144002 - CLAUDIA LANDIN NEGREIROS
Interno - 86016007 - ADAILTON ALVES DA SILVA
Interno - 90384008 - FERNANDO SELLERI SILVA
Externo à Instituição - MARCELO FRANCO LEÃO - IFPI
Notícia cadastrada em: 08/08/2019 16:02
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-02.applications.sig.oraclevcn.com.srv2inst1