Banca de DEFESA: ROSIANE MOISÉS COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ROSIANE MOISÉS COSTA
DATA : 07/05/2020
HORA: 14:00
LOCAL: UNEMAT- Barra do Bugres (Online)
TÍTULO:

TECNOLOGIAS DIGITAIS E A PRODUÇÃO DE CARTOONS NOS     PROCESSOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE QUÍMICA


PALAVRAS-CHAVES:

Ensino e Aprendizagem de Química, Desenhos Animados, Interdisciplinaridade.


PÁGINAS: 102
RESUMO:

As Tecnologias Digitais vêm promovendo modificação no âmbito da sociedade, influenciando os modos de os sujeitos se comunicarem, trabalhar, de nos relacionarmos, social e culturalmente, e de obtermos informações e produzir conhecimento. Na Educação, pesquisas têm mostrado que, apesar de as políticas públicas terem promovido a inserção das tecnologias digitais ao currículo de Química, elas ainda não estão, de fato, presentes nas instituições públicas de ensino da Educaçao Básica, em especial, nas salas de aula; têm evidenciado, ainda, que, muitas vezes, o ensino e a aprendizagem de Química acontece de forma fragmentada, sem relação com o contexto em que alunos estão inseridos e com as demais aréas do conhencimento. Com um olhar para esse novo cenário, em que as tecnologias digitais apresentam-se como uma possibilidade de promover práticas interdisciplinares no processo de ensino e aprendizagem dessa disciplina. Esta pesquisa teve como objetivo compreender as contribuições das tecnologias digitais, utilizadas na produção de cartoons para o ensino e aprendizagem de Química, quando elaborados por alunos da Educação Básica. A pesquisa teve como cenário a Escola Estadual Oscar Soares, localizada no município de Juara, estado de Mato Grosso. Os conteúdos utilizados para a produção dos cartoons foram Termoquímica e Cinética Química. A metodologia adotada se apoia no paradigma qualitativo e utilizou como instrumentos para a produção dos dados: a observação participante, o questionário com questões abertas e fechadas e entrevistas semiestruturadas. Os resultados da análise indicaram que a produção dos cartoons pode tornar o aluno protagonista de sua própria aprendizagem, possibilitando um trabalho colaborativo, baseado no compartilhamento do conhecimento. Verificou-se, ainda, que a produção dos cartoons levou os alunos a compreenderem os conteúdos de Química de forma contextualizada, e não de modo “abstrato” e distante de sua realidade cotidiana. Os dados indicaram que, ao produzirem os cartoons, os alunos foram capazes de relacionar os conteúdos de Química com os de outras áreas do conhecimento, ou seja, a atividade possibilitou a interdisciplinaridade. Foi possível verificar que a internet, por um lado, forneceu informações que permitiram o envolvimento dos alunos com os conteúdos. As tecnologias digitais, quando articuladas a uma prática formativa que leve em conta os saberes trazidos pelo aluno, associando-os aos conhecimentos escolares, tornam-se essenciais para a construção dos saberes. Em Relação as dificuldades do processo de produção dos cartoons, os aluno destacaram o tempo para produção das cenas, outra dificudade vivenciada, tanto pela pesquisadora, quanto pelos alunos refere-se aos softwares utilizados na produção dos cartoons. No entanto, os resultados da análise deste trabalho permitem-nos afirmar que ela pode ser um dos caminhos, aliada a outras metodologias, para que os alunos possam, de fato, aprender de uma forma distinta daquela comumente empregada em sala de aula.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 122182002 - DAISE LAGO PEREIRA SOUTO
Interno - 253581001 - SUMAYA FERREIRA GUEDES
Externo à Instituição - LEANDRO CARBO - IFMT
Notícia cadastrada em: 27/04/2020 11:56
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-01.applications.sig.oraclevcn.com.srv1inst1