Banca de DEFESA: MILLAANY FELISBERTA DE SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MILLAANY FELISBERTA DE SOUZA
DATA : 08/05/2020
HORA: 09:00
LOCAL: UNEMAT - CAMPUS DE BARRA DO BUGRES
TÍTULO:

DIÁLOGO ENTRE CIÊNCIAS E CULTURA: ANÁLISE DOS TCC DA FACULDADE

INDÍGENA INTERCULTURAL - UNEMAT


PALAVRAS-CHAVES:

Ciência, Cultura, Etnomatemática, Etnociência.


PÁGINAS: 146
RESUMO:

A educação escolar indígena no Brasil desde os primórdios da colonização dinamiza-se entre
dilemas e desafios, pois trilhar pelos caminhos dessa modalidade é adentrar no campo da
construção e reconstrução de saberes, poderes e sentidos dos sujeitos no meio ao qual estão
inseridos. Nesta perspectiva, o objetivo a que nos propomos, na realização desta investigação,
é mostrar que há outras concepções de ciências encontradas nos TCC da turma do período de
2011-2016, da Faculdade Indígena Intercultural – FAINDI, da Universidade de Mato Grosso -
Barra do Bugres, e como suas concepções são desenvolvidas nestes documentos. De natureza
qualitativa, do tipo documental, busca-se nesta investigação identificar informações factuais
em documentos como: RCNEI, CF, OCDE - MT, PPC do Curso de Licenciatura Intercultural
Indígena – Ciências Matemáticas e da Natureza (FAINDI – UNEMAT), e os TCC desta
turma. Esta pesquisa se justifica porque faz-se necessário analisar e refletir sobre as
percepções dos povos indígenas acerca dos conceitos científicos, fundados nas premissas da
ciência moderna. Essas análises, provocaram um diálogo entre várias culturas e temáticas,
refletindo sobre as potencialidades dessas temáticas para o ensino de Ciências numa
perspectiva intercultural, ou seja, podemos afirmar que não existe apenas uma ciência nesses
TCC, e sim, várias. A nossa ciência ocidental não se aplica à cultura desses povos, porém esta
ciência não contradiz com o “senso comum” desses, tomando como exemplo os marcadores
do tempo, do qual, a partir dos conhecimentos tradicionais, surgiram grandes ciências. A
educação escolar indígena visa: garantir o diálogo entre esses modos de educação,
permanecendo, porém, um desafio na construção das escolas, dos currículos e na formação de
seus professores. Nesta perspectiva, compreendemos como um elemento relevante na
construção de uma escola indígena diferenciada, intercultural e bilíngue, permitindo o diálogo
entre conhecimentos tradicionais e acadêmicos, os materiais didáticos próprios, produzidos
com o auxílio dos anciões, que são pessoas consideradas como doutores do conhecimento das
práticas culturais de cada povo, fortalecendo e valorizando a cultura.. Pode-se observar
também que todos os trabalhos apresentam uma grande preocupação em deixar registrado,
catalogados, os conhecimentos tradicionais, de modo que eles não se percam com o passar
dos anos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 121144002 - CLAUDIA LANDIN NEGREIROS
Interno - 45557013 - JOAO SEVERINO FILHO
Interno - 86016007 - ADAILTON ALVES DA SILVA
Externo à Instituição - MARCELO FRANCO LEAO - IFPI
Notícia cadastrada em: 20/04/2020 16:59
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-03.applications.sig.oraclevcn.com.srv3inst1