Banca de DEFESA: PAULO MARCOS FERREIRA ANDRADE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PAULO MARCOS FERREIRA ANDRADE
DATA : 06/03/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Sala A1 - Bloco A
TÍTULO:

CARTOGRAFIA CULTURAL DA ESCOLA ESTADUAL PAULO FREIRE: Sujeitos, Tensões e Articulações no/do Ensino de Ciências


PALAVRAS-CHAVES:

Educação do campo.  Ensino de ciências. Sujeitos culturais.  Tecituras.


PÁGINAS: 147
RESUMO:

Este estudo intitulado Cartografia Cultural da Escola Estadual Paulo Freire: Sujeitos, Tensões e Articulações no/do Ensino de Ciências é fruto de uma pesquisa realizada em uma escola do campo, e teve como objeto o processo de ensino da Escola estadual Paulo Freire.  A Escola esta localizada no assentamento Antônio Conselheiro (95 km) com salas anexas no distrito de Nova Fernandópolis, a 54 quilômetros da sede do município de Barra do Bugres. Seu público está caracterizado por alunos advindos do da agricultura familiar e que fazem parte do MST ou Associações de pequenos agricultores, ou pessoas que tiveram uma trajetória de vida no campo, ribeirinhos que residem às margens dos rios Juba e Sepotuba e trabalhadores que se empregam em fazendas circunvizinhas. O objetivo geral da pesquisa foi o de perceber e compreender as tecitura e texturas da trama cultural que constitui os sujeitos que faz parte do cenário humano da Escola Estadual Paulo Freire e refletir sobre a forma que suas tensões articulam o ensino de ciências no interior da instituição. As questões que construíram o problema da pesquisam foram: Que grupos sociais estão presentes nas relações de poder e no ensino? Quais tensões culturais e ou identitárias articulam ao ensino de Ciências na escola? Quais tecituras e texturas da trama cultural constituem o cenário da escola? O serviço de quem esta escola/educação está?  As buscas pelas respostas destas questões forneceram as setas no caminho da compreensão da articulação do ensino na Escola, permitindo a cartografia dos sujeitos culturais e a reflexão das relações com as diferenças. A metodologia foi da pesquisa qualitativa de cunho etnográfico versando pela observação participativa, pelo método de histórias de vida - MHV- utilizando questionários semi-estruturados e observação da prática de ensino, a qual se caracterizou como um instrumento importante por possibilitar a produção de conteúdos fornecidos diretamente pelos sujeitos. Os resultados obtidos neste trabalho permitam uma reflexão profícua sobre a importância de conhecer sujeitos culturais e suas tensões, e como e como trama cultual por cada fio que estes representam no ensino de ciências e nas relações dentro da escola do campo. Como á sabido o encontro em lugar e espaço gera conflitos culturais, mas que podem ser superado quando o sujeito conhece a si e sua cultura e se constrói no respeito ao outro e seu modo de vida e tradições identitárias.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 86016007 - ADAILTON ALVES DA SILVA
Interno - 45557013 - JOÃO SEVERINO FILHO
Externo ao Programa - 34875014 - LUCIMAR LUISA FERREIRA
Externo à Instituição - LÍNLYA NATÁSSIA SACHS CAMERLENGO DE BARBOSA - UTFPR
Notícia cadastrada em: 30/01/2020 15:46
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-02.applications.sig.oraclevcn.com.srv2inst1