Banca de DEFESA: JULIANA SOBREIRA ARGUELHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JULIANA SOBREIRA ARGUELHO
DATA : 13/05/2021
HORA: 08:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO:

Plantas do Futuro: Espécies utilizadas em restauração florestal suportarão as mudanças climáticas na Transição Cerrado-Amazônia?


PALAVRAS-CHAVES:

Década da Restauração, ecologia aplicada, modelagem de distribuição de espécies, restauração ecológica


PÁGINAS: 245
RESUMO:

As mudanças climáticas futuras e as modificações do uso e cobertura do solo são processos antrópicos de ameaças à biodiversidade global. Para que os processos de conservação e restauração de áreas impactadas sejam eficientes se torna necessário investigar os efeitos das mudanças climáticas sobre as espécies vegetais locais. Aqui, visamos entender quais as espécies vegetais, que estão sendo utilizadas no processo de recuperação de áreas impactadas da Transição Cerrado-Amazônia, suportarão os climas futuros. Para verificarmos se espécies utilizadas na restauração florestal encontrarão áreas adequadas no futuro ao longo dessa transição, modelamos, por meio de modelos baseados em nicho, as suas distribuições potenciais presentes projetando-as para o clima futuro (2070). Utilizamos oito algoritmos de modelagem, três modelos climáticos globais (GCMs) e selecionamos modelos com base no True Skill Statistic (TSS). O teste do qui-quadrado post hoc mostrou diferença significativa de adequabilidade entre os cenários presente, futuro otimista e futuro pessimista para 45 espécies das 48 espécies modeladas. Nossos resultados indicaram 15 espécies como mais promissoras para a restauração na Transição Cerrado-Amazônia considerando os cenários de mudanças climáticas futuras. Os modelos de consenso médio mostraram que as mudanças climáticas deverão alterar a distribuição geográfica de todas as espécies selecionadas (15 espécies) e não selecionadas (29 espécies). Com isso, observamos o quanto as ações antrópicas em relação às mudanças climáticas podem modificar as distribuições dessas espécies, com alta adequabilidade para algumas e baixa ou perda de adequabilidade para outras, modificando a paisagem e, possivelmente, a vida tradicional de muitas pessoas que vivem destas espécies na região de Transição Cerrado-Amazônia.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 255123001 - ALEXANDRE DE AZEVEDO OLIVAL
Interno - 253812001 - PEDRO VASCONCELOS EISENLOHR
Externo à Instituição - THADEU SOBRAL DE SOUZA - UFMT
Externo à Instituição - VANESSA LEITE REZENDE - UFLA
Notícia cadastrada em: 12/05/2021 08:46
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-03.applications.sig.oraclevcn.com.srv3inst1