Projeto Político Pedagógico

O profissional de Agronomia tem por missão promover a perfeita interação das espécies vegetais e animais ao meio ambiente de produção em escala, visando promover desta forma o melhor desempenho produtivo econômico por parte do homem e das empresas rurais, observando a sustentabilidade ambiental e social do meio rural.

O Engenheiro Agrônomo formado pelo Câmpus Universitário Nova Xavantina deve ser um profissional com capacidade de realizar análise científica, de identificar e resolver problemas, preocupar-se com a permanente atualização de conhecimentos e de tomar decisões com a finalidade de operar, modificar e implantar sistemas agropecuários e agroindustriais sempre se preocupando com os aspectos sociais e de sustentabilidade, dentro de princípios éticos.

Além disso, o profissional terá uma visão eclética, contribuindo para o estabelecimento de uma agricultura socialmente justa, economicamente viável e ecologicamente equilibrada. O profissional deverá ter senso crítico, criatividade, racionalidade e espírito empreendedor, estabelecendo uma relação de interação com a comunidade regional e contribuindo efetivamente para o desenvolvimento social e econômico do estado de Mato Grosso.

O equilíbrio e a complementação disciplinar do curso, nas mais diferentes áreas, permitirão ao Engenheiro Agrônomo formado no Câmpus Universitário Nova Xavantina somar conhecimentos na área de produção do ecossistema agrário, visando produzir e preservar as qualidades que compõem os ecossistemas e também o equilíbrio social do campo, com equidade social e inclusão. O Engenheiro Agrônomo reunirá em seu currículo os conteúdos técnicos e sociais para atuar com uma visão produtiva e sustentável dos ecossistemas agrários do Estado e do País.

De acordo com a Resolução n. 218/73-CONFEA, compete ao Engenheiro Agrônomo, o desempenho das atividades, designadas no Art. 5º, de construções para fins rurais e suas instalações complementares; irrigação e drenagem para fins agrícolas; fitotecnia e zootecnia; melhoramento animal e vegetal; recursos naturais renováveis; ecologia, agrometeorologia; defesa sanitária; química agrícola; alimentos; tecnologia de transformação (açúcar, amidos, óleos, laticínios, vinhos e destilados); beneficiamento e conservação dos produtos animais e vegetais; zimotecnia; agropecuária; edafologia; fertilizantes e corretivos; processo de cultura e de utilização de solo; microbiologia agrícola; biometria; parques e jardins; mecanização na agricultura; implementos agrícolas; nutrição animal; agrostologia; bromatologia e rações; economia rural e crédito rural; seus serviços afins e correlatos. Além do desempenho das atividades designadas no Art 1º para as diferentes modalidades da Engenharia, Arquitetura e Agronomia em nível superior e em nível médio (Atividade 01 - Supervisão, coordenação e orientação técnica; Atividade 02 - Estudo, planejamento, projeto e especificação; Atividade 03 - Estudo de viabilidade técnico-econômica; Atividade 04 - Assistência, assessoria e consultoria; Atividade 05 - Direção de obra e serviço técnico; Atividade 06 - Vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnico; Atividade 07 - Desempenho de cargo e função técnica; Atividade 08 - Ensino, pesquisa, análise, experimentação, ensaio e divulgação técnica; extensão; Atividade 09 - Elaboração de orçamento; Atividade 10 - Padronização, mensuração e controle de qualidade; Atividade 11 - Execução de obra e serviço técnico; Atividade 12 - Fiscalização de obra e serviço técnico; Atividade 13 - Produção técnica e especializada; Atividade 14 - Condução de trabalho técnico; Atividade 15 - Condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção; Atividade 16 - Execução de instalação, montagem e reparo; Atividade 17 - Operação e manutenção de equipamento e instalação; Atividade 18 - Execução de desenho técnico), referentes a engenharia rural.

A atuação do Engenheiro Agrônomo é direcionada ao avanço das ciências agrárias na busca de solução de problemas da produção agropecuária e alternativas para o desenvolvimento sustentável do pequeno, médio e grande produtor rural. As atividades do profissional incluem a perfeita complementação disciplinar, nas diferentes áreas de produção agropecuária, contribuindo para o aumento de produtividade, o desenvolvimento do homem rural, para a agregação de valor aos seus produtos e inclusão social.

As atividades do Engenheiro Agrônomo são reguladas pelo Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CONFEA), conforme Resolução n. 06, de 11 de abril de 1984, pelo Parecer CFE/MEC n. 01/84, do Conselho Federal de Educação e pelas Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agronômica ou Agronomia na Resolução n. 1, de 2 de fevereiro de 2006.

Além do domínio de conhecimentos e de níveis diversificados de habilidades e competências para perfis profissionais específicos, espera-se que os graduandos em Agronomia da UNEMAT, Câmpus Universitário Nova Xavantina, evidenciem a compreensão de temas que possam transcender ao seu ambiente próprio de formação e sejam importantes para a realidade contemporânea. Essa compreensão vincula-se a perspectivas críticas, integradoras e à construção de sínteses contextualizadas (Portaria INEP n. 214, de 13 de julho de 2010, publicada no Diário Oficial de 14 de julho de 2010, Seção 1, pág. 828).

A Formação Geral dos(as) engenheiros(as) agrônomos(as) versarão sobre os seguintes temas: arte e cultura; avanços tecnológicos; ciência, tecnologia e inovação; democracia, ética e cidadania; ecologia e biodiversidade; globalização e geopolítica; políticas públicas: educação, habitação, saneamento, saúde, transporte, segurança, defesa, desenvolvimento sustentável; relações de trabalho; responsabilidade social: setor público, privado, terceiro setor; sociodiversidade: multiculturalismo, tolerância, inclusão/exclusão, relações de gênero; tecnologias de informação e comunicação; vida urbana, vida rural e violência. As capacidades individuais de ler e interpretar textos; analisar e criticar informações; extrair conclusões por indução e/ou dedução; estabelecer relações, comparações e contrastes em diferentes situações; detectar contradições; fazer escolhas valorativas avaliando consequências; questionar a realidade e argumentar coerentemente serão potencializadas através de atividades didático-pedagógicas visando a formação de profissionais que deverão mostrar competência para: projetar ações de intervenção; propor soluções para situações-problema; construir perspectivas integradoras; elaborar sínteses; administrar conflitos e atuar segundo princípios éticos.

O aperfeiçoamento contínuo do ensino oferecido no Curso de Bacharelado em Agronomia da UNEMAT, Câmpus Universitário Nova Xavantina, será verificado por meio da avaliação das competências, habilidades e domínio de conhecimentos necessários para o exercício da profissão e da cidadania, tomando como referência o perfil do graduando com sólida formação básica, científica e tecnológica, com visão crítica, humanística e integrada do processo de desenvolvimento em base sustentável, espírito empreendedor, senso ético, responsabilidade social e ambiental e apto para atuar em equipe interdisciplinar e multiprofissional, compreendendo os processos para tomar decisões e resolver problemas, com base em parâmetros científicos, políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais atendendo as demandas da sociedade, dominando as novas tecnologias e conceitos científicos para promover inovações tecnológicas e suas aplicações na produção agropecuária.

O acadêmico desenvolverá durante sua graduação em Agronomia competências e habilidades para:

- utilizar a linguagem escrita e gráfica de modo adequado, claro e preciso; identificar problemas e propor soluções;

- argumentar e refletir de forma crítica;

- conhecer e inferir questões sociopolíticas e econômicas da realidade nacional e mundial;

- articular e sistematizar conhecimentos teóricos e metodológicos para a prática da profissão; e,

- analisar, interpretar dados e informações; avaliar criticamente inovações tecnológicas e assessorar processos organizacionais no meio rural.

Em relação às habilidades específicas do engenheiro(a) agrônomo(a), compete a este profissional das Ciências Agrárias:

- elaborar soluções técnicas para a agropecuária compatíveis com a realidade socioeconômica e com a sustentabilidade;

- planejar, gerir e otimizar o uso de unidades de produção rural e agroindustrial a partir de diagnose sistêmica;

- diagnosticar problemas e potencialidades de unidade de produção rural e agroindustrial;

- analisar e projetar sistemas, processos e produtos;

- executar e gerenciar projetos agropecuários;

- planejar e executar ensaios experimentais e interpretar seus resultados; avaliar o impacto das atividades profissionais no contexto socioeconômico e ambiental; e,

- transmitir e difundir conhecimentos científicos e tecnológicos; elaborar e interpretar políticas de desenvolvimento.

Na área de formação básica, a Matemática, a Física, a Química, a Biologia, a Estatística, a Informática e a Expressão Gráfica são os campos de saber que fundamentam o embasamento teórico necessário ao aprendizado e à formação profissional.

Na área profissional o(a) engenheiro(a) agrônomo(a) está apto(a) a atuar nas seguintes áreas:

- Solos: mineralogia, gênese, morfologia e classificação; física, química e biologia do solo; fertilidade do solo e nutrição de plantas; uso, propriedades e legislação dos corretivos, inoculantes, fertilizantes minerais e orgânicos; uso, manejo e conservação do solo e da água;

- Fitotecnia: planejamento, implantação, manejo e colheita de culturas; produção e tecnologia de sementes e mudas; melhoramento genético; propagação de plantas; biotecnologia;

- Fitossanidade: fitopatologia; entomologia; epidemiologia; controle fitossanitário; defesa sanitária e legislação; manejo de plantas daninhas;

- Economia, Administração e Extensão Rural: desenvolvimento rural; geração, adoção e difusão de inovações tecnológicas; economia da produção e comercialização; administração rural; gestão do agronegócio, custos de produção; sociologia rural;

- Zootecnia: manejo e produção animal; melhoramento genético; manejo da reprodução, nutrição e alimentação animal; pastagem e forragem; comportamento e bem-estar animal;

- Engenharia Rural: topografia e geoprocessamento; agrometeorologia; hidráulica, irrigação e drenagem; equipamentos; máquinas e mecanização agrícola; energia; construções e instalações rurais; logística;

- Ecologia e Manejo ambiental: legislação ambiental; dinâmica, manejo e recuperação de ecossistemas; uso sustentável de recursos naturais; poluição ambiental;

- Horticultura: produção e manejo de plantas frutíferas, olerícolas, ornamentais, medicinais, condimentares e aromáticas;

- Silvicultura: viveiros; produção e propagação de espécies florestais; manejo de áreas silvestres e de reflorestamento;

- Tecnologia de Produtos Agropecuários: processamento; padronização; classificação, conservação; armazenamento; higiene e controle de qualidade de produtos de origem animal e vegetal;

- Metodologia Científica e Experimentação: redação e investigação técnico-científica; planejamento e condução de experimentos; análise e interpretação de resultados experimentais; e,

- Deontologia: ética e legislação profissional.

METODOLOGIAS E POLÍTICAS EDUCACIONAIS

 

2.1 Relação entre Ensino, Pesquisa e Extensão

 

A Constituição Federal em seu Art. 207, estabelece a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão nas Universidades. A Resolução CNE/CES n. 07, de 18 de dezembro de 2018, estabelece as Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira e regulamenta as atividades acadêmicas de extensão dos cursos de graduação, na forma de componentes curriculares para os cursos, de acordo com o perfil do egresso, estabelecido nos Projetos Pedagógicos dos Cursos.

O Curso de Bacharelado em Agronomia do Câmpus Universitário Nova Xavantina, além da indissociabilidade, tem como princípio fundamental a integração do ensino, pesquisa e extensão, por meio do envolvimento dos docentes, acadêmicos, técnico-administrativos e representantes da sociedade. O fomento à produção acadêmico-científica e a sua divulgação em eventos e publicações científicas trará benefícios a todos os envolvidos.

A pesquisa e extensão universitária compõem o processo de ensino e viabilizam uma relação transformadora entre a Universidade e a Sociedade. No curso, a interação dialógica, a interdisciplinaridade e interprofissionalidade, a indissociabilidade entre o ensino, a pesquisa e a extensão, trazem um grande impacto positivo na formação do acadêmico e transformação social. É a partir da articulação entre o ensino, a pesquisa e a extensão com as demandas da sociedade, por meio do comprometimento da comunidade acadêmica, que serão atendidos os interesses e necessidades da sociedade, fortalecendo as suas relações. A partir do fortalecimento das relações da Universidade com a sociedade, com a produção e difusão do conhecimento será possível melhorar a qualidade de vida da população, sempre respeitando o saber popular.

 

2.2 Integração com a pós-graduação

 

Os acadêmicos do curso de Bacharelado em Agronomia do Câmpus Nova Xavantina têm oportunidade de decidirem sobre o futuro profissional, seja dando continuidade na carreira acadêmica atuando como professor ou pesquisador universitário ou ingressando no mercado de trabalho, pelo estímulo à dedicação aos estudos e participação nas atividades de pesquisa e extensão embasados nas seguintes linhas de pesquisa:

- Produção vegetal e tecnologias em sistemas agropecuários: desenvolver atividades de pesquisas relacionadas à produção vegetal, incentivando o desenvolvimento de tecnologias adaptadas à realidade do setor agropecuário na região do Vale do Araguaia, bem como, a resolução de problemas reduzindo as ocorrências de danos e prejuízos nos sistemas de cultivos.

- Sustentabilidade e gestão em sistemas de produção: realizar um aprofundamento técnico-científico acerca da temática mencionada, com ênfase nos sistemas de produção agropecuários e o desenvolvimento rural, buscando compreender os cenários agrícolas e os processos envolvidos nos sistemas produtivos, de modo que a dinâmica e as transformações quanto às formas de organização e a trajetória dos sujeitos envolvidos fomentem as análises e reflexões em diferentes áreas do conhecimento.

- Sistemas de manejo conservacionistas e recuperação de solos agrícolas degradados: realizar estudos quanto ao manejo e conservação de solos agrícolas em áreas do Cerrado visando o desenvolvimento de sistemas conservacionistas baseados nas especificidades regionais.

 

2.2 Mobilidade estudantil e internacionalização

 

A mobilidade acadêmica tem por objetivo complementar a formação acadêmica, enriquecer a experiência individual do acadêmico e aumentar sua empregabilidade por meio da aquisição de novas experiências e da interação com outras IES.

O Programa de Mobilidade Acadêmica, estabelecido pela Resolução n. 071/2011-CONEPE, de 10 de novembro de 2011, permite que acadêmicos vinculados ao Curso de Bacharelado em Agronomia do Câmpus Universitário Nova Xavantina cursem disciplinas (componentes curriculares) pertinentes ao seu curso de graduação em outras IES, nacionais ou estrangeiras, conveniadas à UNEMAT. Será permitido ao acadêmico o cumprimento de até 20% dos créditos neste regime. Para tanto, o acadêmico deve ter cumprido no mínimo 25% dos créditos e não estejam a 25% da sua conclusão.

 

2.3 Tecnologias digitais de informação e comunicação no processo de ensino-aprendizagem

De acordo com a Base Nacional Curricular Comum (BNCC), se faz necessário “compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva”.

Com objetivo de desenvolver tais competências, integrando o acadêmico ao ambiente universidade, intensificando a comunicação entre acadêmico e docente, estimulando a participação colaborativa, no ensino presencial ou a distância, o Curso de Bacharelado em Agronomia qualificará seus acadêmicos para o uso dos sistemas SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas e SAU - Sistema de Autenticação Unificada, de plataformas AVA - Ambiente Virtual de Aprendizagem e das Bibliotecas Física e Virtual.

 

2.4 Educação inclusiva

 

Para garantir o direito de todos à educação, sem distinção entre as diversidades étnicas, sociais, culturais, intelectuais, físicas, sensoriais e de gênero, a educação inclusiva no Curso de Bacharelado em Agronomia será realizada atendendo ao critérios estabelecidos na Resolução n. 011/2019 - CONEPE, alterada pela Resolução n. 051/2019 - CONEPE, que sobre a Política de Ações Afirmativas da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT.

 

Nenhum conteúdo disponível até o momento

As ACE’s serão acompanhadas pelo Núcleo Docente Estruturante (NDE), conforme suas atribuições, no que concerne à adequação às linhas de Extensão e registradas via Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA). Para creditar cada ACE, o acadêmico deverá cumprir no mínimo 75% da carga horária estabelecida da atividade. A avaliação da frequência e do desempenho do acadêmicos para a creditação caberá ao coordenador da ACE, que deverá certificar as atividades realizadas pelos acadêmicos no prazo máximo de 60 dias após o término da ação.

O acadêmico deverá registrar, periodicamente, as ACE’s no Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA) e o Coordenador do Curso de Bacharelado em Agronomia fará a validação das ACE’s registradas.

Baixar Arquivo
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-01.applications.sig.oraclevcn.com.srv1inst1