Banca de DEFESA: MARÍLIA SPINGOLON

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARÍLIA SPINGOLON
DATA : 24/03/2021
HORA: 08:00
LOCAL: Sala virtual remota
TÍTULO:

WEBDOC  E A VOZ DA DIVERSIDADE NA ESCOLA, UMA EXPERIÊNCIA DE LETRAMENTO EM TEMPOS DE PANDEMIA


PALAVRAS-CHAVES:

Projeto de letramento. Diversidade. Competência discursiva.


PÁGINAS: 142
RESUMO:

O contexto sócio-histórico contemporâneo, em grande parte construído a partir das dicotomias de pensamento, evidenciam a importância que tem as instituições de ensino, na promoção de um ambiente escolar reflexivo, no tocante a historicidade e a diversidade. Aliado a esse fato, as tecnologias de informação e comunicação têm adentrado os espaços escolares por meio dos mais variados gêneros de textos e discursos, o que evidencia a necessidade de formar cidadãos críticos, éticos e empenhados em fazer da aprendizagem algo significativo, capaz de ampliar sua competência comunicativa e participar das decisões que o cercam de forma, verdadeiramente, cidadã. Estas asserções elucidam a necessidade de pensar sobre o fazer pedagógico. Assim, os Projetos de Letramento se apresentam como alternativas que garantem a inserção dos estudantes em práticas de linguagem situadas, nos eventos de letramento do qual fazem parte, os quais nascidos das interações sociais, avultaram em mudanças de paradigmas educacionais nos últimos anos. Este projeto, portanto, teve como escopo o desenvolvimento de ações, por meio de etapas de letramento, dentro das quais foram realizadas atividades de leitura e escrita, tanto de gêneros orais ou escritos, em eventos sociais de uso da língua. Foi realizado um protótipo desta proposta de intervenção em uma escola estadual do município de Colíder-MT, considerando-se a situação de isolamento social provocada pela pandemia do novo Coronavírus. Ao todo foram 9 participantes oriundos dos nonos anos (matutino e vespertino). A observação quanto às necessidades advindas das realidades dos estudantes, relacionadas aos conflitos gerados na escola pela falta de compreensão quanto a convivência com a diversidade desencadeou as ações que objetivaram ampliar a competência discursiva dos estudantes, por meio da língua, para discutir o alcance da cidadania mediado pelo uso da linguagem. Como aporte teórico esta pesquisa qualitativa, interventiva e com viés interpretativista, e que também considera a abordagem formativa do professor em seu processo dialógico de construção, análise e reflexão sobre o saber se orienta pelo conceito de letramento de Kleiman (1995, 2005, 2006, 2009), Oliveira, Tinoco e Santos (2014), e Street (2015), no que se refere aos estudos quanto ao Projeto de Letramento (PL); relativo aos gêneros discursivos, em Bakhtin (2006, 2012, 2014); da importância dos estudos da oralidade, em Marcuschi (2005, 2008) e Antunes (2003); para a abordagem da pesquisa, Bortoni-Ricardo (2008) e Rojo (2005, 2009, 2012); quanto ao conteúdo temático da historicidade e diversidade, principalmente em Stuart Hall (2006); no tocante ao gênero discursivo escolhido para a confecção do produto final, Nichols (2005) dentre outros. Conciliou-se também estudos relacionados aos PCN (1998, 2000), BNCC (2017) e DRC-MT (2017). A agência da própria aprendizagem desenvolvida pelos estudantes, num processo colaborativo também junto ao professor, durante o desdobramento das ações, proporcionou reflexões durante todo o ensejo. O objetivo principal do projeto era propor a reflexão e auxiliá-los no processo de tomada de decisões frente aos discursos circundantes no meio escolar quanto a questão da diversidade. A pesquisa buscou responder as perguntas: Como o trabalho ancorado em projetos, considerando-se a questão dos letramentos e multiletramentos pode contribuir para a ampliação da competência discursiva dos estudantes de nonos anos de uma escola de ensino fundamental no município de Colíder-MT? De que maneira é possível propor reflexão sobre a diversidade sem cair no senso comum mediado pelo estudo da linguagem e da historicidade? Os resultados da pesquisa evidenciaram uma melhora na competência discursiva dos estudantes, inclusive no tocante a repensar o conceito de diversidade, em vista das tecnologias digitais, ainda que a modo de um protótipo.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 32795003 - ANGELA RITA CHRISTOFOLO DE MELLO
Interno - 54001002 - GENIVALDO RODRIGUES SOBRINHO
Presidente - 62022008 - LEANDRA INES SEGANFREDO SANTOS
Externo à Instituição - SOLANGE DE CARVALHO FORTILLI - UFMS
Externo à Instituição - SUELI CORREIA LEMES VALEZI - IFMT
Notícia cadastrada em: 07/03/2021 14:27
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-02.applications.sig.oraclevcn.com.srv2inst1