Banca de DEFESA: ARINOS OLIVEIRA SERPA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ARINOS OLIVEIRA SERPA
DATA : 12/10/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Sala da pós-graduação
TÍTULO:

Fisiologia térmica e risco de extinção induzido por mudanças climáticas em Gymnodactylus amarali (Squamata, Phyllodactylidae)


PALAVRAS-CHAVES:

Mudanças climáticas, modelos mecanísticos, distribuição geográfica, lagartos, Cerrado, conservação


PÁGINAS: 32
RESUMO:

A acentuada velocidade das mudanças climáticas representa uma grande ameaça à conservação da biodiversidade e desvendar como elas impactarão as diferentes espécies é um grande obstáculo a ser superado. Por dependerem da temperatura ambiental para sua termorregulação, animais ectotérmicos são bons modelos para entender esses processos. Gymnodactylus amarali é uma espécie de lagarto endêmica do Cerrado, que apresenta hábitos noturnos e habita preferencialmente afloramentos rochosos. Neste estudo nós investigamos as características térmicas, calculamos a restrição do período de atividade, descrevemos a curva de performance térmica, criamos modelos de distribuição da espécie baseados em dados ambientais e ecofisiológicos e, a partir deles, avaliamos o impacto de diferentes cenários de concentração dos gases do efeito estufa, e do uso da terra sobre a distribuição das áreas de adequabilidade ambiental para a espécie. Nossos resultados mostram que a temperatura preferencial e corporal são 26,03 °C e 29,52 °C, respectivamente. O modelo de distribuição da espécie utilizado para os cálculos de área de adequabilidade teve um AUC 95%. Hoje já houve uma perda, em função do desmatamento, de 48% de áreas que poderiam ser ocupadas pela espécie. No cenário de RCP 4.5 para o ano de 2050 essas perdas sobem para 63% e chegam a 81% para o ano de 2070. No cenário de RCP 8.5 as perdas são de 79% para 2050 e 95% para 2070. Quando consideramos diferentes modelos de uso da terra, as perdas variam de 55 a 99%. Nossas previsões apontam que a redução das horas de atividade, o hábito noturno, a ectotermia termoconformadora e a especificidade de micro-habitat, somadas à acentuada redução das áreas de adequabilidade determinam um alto risco de extinção de G. amarali em face às mudanças ambientais previstas até o fim do século.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 506.486.166-49 - GUARINO RINALDI COLLI - UnB
Interno - 132029001 - EDDIE LENZA DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 295695001 - FABIANO CORRÊA
Externo à Instituição - DIVINO VICENTE SILVÉRIO - IPAM
Externo à Instituição - PAULO MONTEIRO BRANDO - IPAM
Notícia cadastrada em: 09/10/2019 10:05
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-04.applications.sig.oraclevcn.com.srv4inst1