Banca de QUALIFICAÇÃO: EDUARDO QUEIROZ MARQUES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EDUARDO QUEIROZ MARQUES
DATA : 20/12/2021
HORA: 10:00
LOCAL: Nova Xavantina, Online
TÍTULO:

DEGRADAÇÃO FLORESTAL: COMO O ESTRESSE HÍDRICO, QUEIMADAS E FATORES CLIMÁTICOS AFETAM AS FLORESTAS NA BORDA SUL DA AMAZÔNIA?


PALAVRAS-CHAVES:

Sensoriamento remoto, imagens de satélite, resposta espectral, Hyperion


PÁGINAS: 41
RESUMO:

A degradação florestal pode ocorrer por diversos fatores, como secas prolongadas, incêndios, tempestades de vento, entre outros. Embora esses processos ocorram em grande escala nas florestas tropicais e estejam em plena intensificação devido às mudanças climáticas, o uso da reflectância de superfície para mapear a degradação florestal ainda é bastante desafiador. Neste estudo utilizamos dados multiespectrais do satélite Landsat e dados hiperespectrais do satélite EO-1 para quantificar a degradação florestal causada por incêndios em uma área de incêndios experimentais (2004 a 2010) no sul da Amazônia. Foram utilizados 18 Índices de Vegetação (VI) sendo um específico para Landsat e 12 específico para EO-1, calculados para os tratamentos queimados e controle. Os VIs mais sensíveis do Landsat às mudanças na vegetação foram o GRND e NDII, atingindo valores 87% e 48% inferiores aos da vegetação não queimada, respectivamente. Do EO-1, o PSRI foi o mais sensível (94% maior que o controle). Tanto os VIs Landsat quanto EO-1 detectaram os maiores valores ao final do experimento (2010) e para a borda da vegetação, o que foi evidenciado pela vegetação mais seca e inflamável detectada pelo aumento dos VIs PSRI e MSI e a queda de NDVI e NDII. O uso de VIs hiperespectrais permitiu a visualização de diferentes processos que ocorrem na vegetação queimada, como o aumento de antocianinas e carotenóides e a diminuição da fotossíntese e da água na vegetação. Nossos resultados mostram que VIs hiperespectrais associados a mudanças de carotenóide/clorofila são a chave para detectar estresse e degradação da vegetação associada a incêndios florestais em anos iniciais por meio de imagens de satélite.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 220.974.038-08 - PAULO MONTEIRO BRANDO - NENHUMA
Interno - 606.226.102-44 - DAVID ROBERTO GALBRAITH - ED
Externo à Instituição - ANE ALENCAR - IPAM
Externo à Instituição - MARCIA NUNES MACEDO - IPAM
Notícia cadastrada em: 30/03/2022 08:24
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-04.applications.sig.oraclevcn.com.srv4inst1