Banca de QUALIFICAÇÃO: JANECLEIA SOARES DE ARAGÃO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JANECLEIA SOARES DE ARAGÃO
DATA : 22/03/2022
HORA: 13:30
LOCAL: Atividade remota - via Google Meet
TÍTULO:

Diversidade, estrutura e composição florística de áreas restauradas por semeadura direta na borda sul da Amazônia


PALAVRAS-CHAVES:

composição florística, regenerantes, recuperação de atributos de estrutura da vegetação, sucessão florestal.


PÁGINAS: 52
RESUMO:

As florestas do sul da Amazônia foram altamente desmatadas, incluindo as matas ciliares legalmente protegidas, necessitando de ações de reflorestamento. A semeadura direta vem se expandindo como um  método ativo de baixo custo e fácil de implementar em larga escala. Através do programa de restauração da bacia do Xingu, mais de 5.000ha já foram restaurados por semeadura direta. Neste estudo avaliamos e comparamos a estrutura, a diversidade e a composição florística da vegetação arbórea de florestas restauradas por semeadura direta e florestas primárias na borda sul da Amazônia. Nós mensuramos a altura, o diâmetro e identificamos todos os indivíduos lenhosos com diâmetro à altura do peito (DAP) ≥ 5 cm em 23 parcelas de 10 x 50 m estabelecidas em áreas de florestas restauradas e 10 em florestas primárias. Além disso, classificamos as espécies ocorrentes nas parcelas restauradas em semeadas e regeneradas naturalmente. Registramos 1.661 indivíduos pertencentes a 71 espécies distribuídas em 60 gêneros de 29 famílias. As florestas restauradas não apresentaram similaridade e exibiram menor riqueza de espécies, biomassa e área basal quando comparadas com as florestas primárias adjacentes evidenciando que o tempo de recuperação de ~10 anos não foi suficiente para recomposição dos parâmetros. A semeadura direta, na maioria das vezes resultou em alta dominância de uma única espécie e baixa diversidade, mesmo assim a riqueza e diversidade entre espécies semeadas e regeneradas não apresentaram diferença estatisticamente significativa, mostrando que a regeneração vem se estabelecendo gradualmente nesses novos ecossistemas. Em síntese, nossos achados sugerem que a semeadura direta seja uma boa alternativa para a restauração florestal em áreas com pouco ou nenhum potencial de regeneração passiva na transição Cerrado-Amazônia.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 888.812.616-34 - FREDERICO AUGUSTO GUIMARÃES GUILHERME - UFU
Interno - 054.555.039-44 - ADRIANE ESQUIVEL MUELBERT - LEEDS
Externo à Instituição - ANGÉLICA FARIA DE RESENDE - USP
Notícia cadastrada em: 30/03/2022 08:23
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-02.applications.sig.oraclevcn.com.srv2inst1