Banca de DEFESA: WESLEY JONATAR ALVES DA CRUZ

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : WESLEY JONATAR ALVES DA CRUZ
DATA : 20/07/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Campus de Nova Xavantina
TÍTULO:

Estrutura funcional em comunidades e estratégias ecológicas de espécies arbóreas na transição Amazônia-Cerrado


PALAVRAS-CHAVES:

Florestas, savana, atributos funcionais, variabilidade, biogeografia funcional, recuperação


PÁGINAS: 115
RESUMO:

A classificação de espécies vegetais quanto a sua função é uma alternativa eficaz para abordar questões ecológicas e respostas da vegetação em relação ao meio físico. Compreender a importância da variabilidade de estratégias e funções das espécies requer a quantificação de atributos funcionais em larga escala. Neste estudo investigamos a estrutura funcional regenerativa, trade-offs, estratégias ecológicas e a variabilidade intraespecífica de atributos funcionais em um amplo gradiente vegetacional entre a Amazônia e o Cerrado. Utilizamos um banco de dados composto por mais de 80.000 registros de atributos funcionais de quase 200 espécies arbóreas em 39 parcelas permanentes estabelecidas em cerrado típico, cerradão, floresta de galeria, floresta estacional semidecidual, floresta estacional perenifólia e floresta ombrófila aberta para responder as seguintes perguntas: 1) Quais são as estratégias regenerativas e a sua influência na estrutura destes diferentes tipos de vegetação? 2) Como a estrutura funcional muda e quais são os principais trade-offs e estratégias ecológicas das principais espécies de árvores da transição Amazônia-Cerrado? 3) A variabilidade intraespecífica de atributos funcionais é um indicador de melhor desempenho em espécies florestais e savânicas em multiescala? Nossos resultados mostraram que as estratégias regenerativas das espécies estão baseadas em frutos secos dispersos pelo vento ou frutos carnosos com dispersão por animais, sendo a zoocoria mais importante em todos os tipos de vegetação. Descobrimos a existências de marcantes estratégias de uso de recurso e sobrevivência em diferentes tipos de vegetação. Estratégias que mudam seguindo o gradiente desde as fitofisionomias savânicas e típicas do Cerrado até as florestais e típicas da Amazônia.  Registramos evidências de que a variabilidade intraespecífica de atributos funcionais garante o crescimento populacional e a produtividade em escala regional. Concluímos que os atributos funcionais de frutos e sementes fornecem mecanismos para que as espécies arbóreas se reestabeleçam e a diversidade destas características pode favorecer as comunidades em cada tipo de vegetação, o que permitirá a elas suportar condições ambientais extremas. Os atributos morfológicos de folhas, cascas e ramos nos permitiram identificar as estratégias ecológicas e classificar os tipos de vegetação ao longo da transição Amazônia-Cerrado. Também verificamos que não só o valor dos atributos funcionais, mas a magnitude da variabilidade intraespecífica influencia no estabelecimento e ganho de biomassa aérea, causando, consequentemente, efeito nos padrões demográficos locais e regionais. Nossos resultados forneceram indicadores para a previsão da resposta das comunidades avaliadas frente a possíveis impactos ambientais, principalmente mudanças climáticas, possibilitando melhor gestão e conservação de espécies arbóreas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 82328001 - BEATRIZ SCHWANTES MARIMON
Interno - 000.000.000-00 - IMMACULADA OLIVERAS MENOR - York
Externo à Instituição - Adriane Esquivel Muelbert - UB
Externo à Instituição - DAVID ROBERTO GALBRAITH - LEEDS
Externo à Instituição - MARINA CORRÊA SCALON - UFPR
Notícia cadastrada em: 15/07/2020 09:25
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-03.applications.sig.oraclevcn.com.srv3inst1