Banca de DEFESA: JULIANA GARCIA RIGOLIN

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JULIANA GARCIA RIGOLIN
DATA : 06/12/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO:

A PRÁTICA DOCENTE NO COMPLEXO SOCIOEDUCATIVO POMERI 


PALAVRAS-CHAVES:

Complexo Pomeri. Ensino Aprendizagem. Socioeducação. Professores. Prática docente.


PÁGINAS: 83
RESUMO:

A presente pesquisa, intitulada “A prática docente no Complexo Socioeducativo Pomeri”, tem como objetivo analisar os objetivos da socioeducação percebidos por professores da Escola Estadual Meninos do Futuro na prática docente; refletir sobre os desafios pertinentes ao processo ensino-aprendizagem para a socioeducação; relacionar os objetivos apontados pelos docentes, em seus planos de ensino, que projetam a socioeducação; conhecer a percepção dos docentes sobre a relação entre processo ensino-aprendizagem e a socioeducação. Buscamos resposta ao seguinte questionamento: os objetivos da socioeducação são percebidos pelos professores da Escola Estadual Meninos do Futuro do Complexo Socioeducativo de Cuiabá (Pomeri) na prática docente? A pesquisa é descritiva de abordagem qualitativa. Os autores em que o trabalho se sustenta são: Guralh (2010), Lira (2017), Freitas (2017), Andrade (2017), Albuquerque (2019), dentre outros que tratam da socioeducação e sua real importância na prática pedagógica no contexto das Unidades Socioeducativas. Para desenvolvermos a pesquisa utilizamos as seguintes fontes de coleta de dados: I) entrevista em pauta com os professores; e II) fonte documental. O local da pesquisa foi a Escola Estadual Meninos do Futuro (EEMF) do Centro de Atendimento Socio Educativo de Cuiabá – Complexo Pomeri. Foram selecionados quatro professores da EEMF, que trabalham há mais de um ano na unidade escolar. A cada questão ou pauta da entrevista resultou as categorias: perfil do adolescente em conflito com a Lei: Formação e prática; Ensino-aprendizagem e socioeducação; e Adolescentes e ações pedagógicas. No sistema socioeducativo o que importa é possibilitar aos infratores o retorno à sociedade, com perspectiva de futuro, superando os atos infracionais que possam tê-los colocado em confronto com a comunidade. Para tais superações aposta-se na educação, tanto fora do sistema como dentro do sistema socioeducativo. Na educação fora do sistema socioeducativo aposta-se que a escola e a sociedade protejam a criança e o adolescente, de modo que eles, em situação de vulnerabilidade, não sejam cooptados pelo crime. E a educação no interior do sistema os habilite e lhes dê competências para que não reincidam. A socioeducação como ação pedagógica não está documentada, pois o diário está pronto e basta ser preenchido, então acredita-se que o método de agir diferente na sala de aula se apresenta como discurso, e não metodologicamente estruturado. Também não foi possível identificar, no Projeto Político Pedagógico da EEMF, que a metodologia, as ações pedagógicas estariam voltadas aos aspectos da socioeducação. O professor precisa ser um mediador do processo de ensino e aprendizagem, cabendo a ele planejar as situações didáticas, selecionar e criar bons recursos didáticos, avaliar e redimensionar o ensino, fornecer informações necessárias, estimular comportamentos socialmente aceitáveis, gerir o tempo e o espaço escolar, situação que está em processo de compreensão e efetivação na EEMF do Complexo POMERI. 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 60581007 - LISANIL DA CONCEICAO PATROCINIO PEREIRA
Presidente - 83216001 - MARIA DO HORTO SALLES TIELLET
Interno - 253476001 - RILLER SILVA REVERDITO
Notícia cadastrada em: 25/11/2021 09:24
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-02.applications.sig.oraclevcn.com.srv2inst1