Banca de QUALIFICAÇÃO: Vanilda Soares Prudencio

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : Vanilda Soares Prudencio
DATA : 01/06/2022
HORA: 14:00
LOCAL: web-conferência
TÍTULO:

ALTERAÇÕES NO CANAL FLUVIAL URBANO DO CÓRREGO
FONTES: DINAMICA FLUVIAL E AVALIAÇÃO AMBIENTAL, CÁCERES/MT.


PALAVRAS-CHAVES:

Sistemas fluviais, urbanização, hidrodinâmica e degradação ambiental.


PÁGINAS: 125
RESUMO:

As alterações sofridas no córrego urbano, está diretamente relacionada com a
ocupação irregular e mau uso do córrego na área urbana, fato que ocasiona

degradação da área e altera a dinâmica fluvial do córrego. Neste sentido, a presente
pesquisa teve como objetivo analisar o uso da terra, a hidrodinâmica, as condições
morfológicas e ambientais do Córrego Fontes no município de Cáceres/MT, através da
identificação dos elementos ambientais; avaliação dos parâmetros hidrodinâmicos
(velocidade do fluxo e vazão) e sedimentares (fundo e suspensão) ao longo do perfil
longitudinal, e avaliação quali e quantitativamente do panorama morfológico e
ambiental dos cursos d’água e áreas marginais por meio de aplicação de protocolos.
Para o desenvolvimento desta pesquisa, foram realizados como trabalho de gabinete:
levantamentos de dados bibliográficos para suporte teórico-conceitual do estudo,
mapeamento dos elementos ambientais, caracterização ambiental da bacia e
sistematização de dados; no trabalho de campo foram realizadas: reconhecimento da
área de estudo, coletas de amostras de sedimentos (fundo e suspensão), coletas de
dados hidrodinâmicos (velocidade do fluxo, largura, altura, profundidade), registros
fotográficos, e aplicação de protocolo de avaliação rápida através dos parâmetros
definidos; na atividade de laboratório foram realizados: a análise dos dados coletados
em campo (método de evaporação e peneiramento). Verifica-se área de estudo
diferentes ocupações apresentando em sua delimitação 79,97 % de abrangência por
pastagens, 19,09 % de influência da área urbana e 0,94 % de área preservada
(Floresta Estacional Sempre-Verde Aluvial com dossel emergente). A partir das
identificações e discussões das características ambientais, foi possível averiguar as
inter-relações entre os componentes naturais do Córrego Fontes (geologia,
geomorfologia, clima, solos e vegetação). Avaliando as condições hidrodinâmicas do
córrego Fontes permitiu verificar uma intensa concentração de sedimento suspenso ao
longo do canal, destacando no período de fevereiro/2021 a seção 5 com 284,00 mg/l e
no período de outubro/2021 a maior concentração foi na seção 7 apresentando uma
concentração de sedimento suspenso de 580,00 mg/l. Na análise granulométrica
realizada no período de cheia a seção 08 registrou maior percentual de areia fina com
79,05% e no período de estiagem a seção 02 que apresentou 82,39% de areia fina em
sua composição granulométrica. Considerando que todas as seções registraram maior
predominância em areia fina, os menores indiciem verificados no percentual de areia
fina foi na seção 03 registrando 49,50% no período de cheia e na seção 08 com
49,65% de areia fina no período de estiagem. A análise de degradação ambiental na
área de estudo foi possível averiguar que todos os canais encontram se alterados,
alguns trechos com maiores impactos ambiental causados pelas urbanizações que
avança ao longo das margens fluviais, além de utilização do córrego para despejos de
dejetos e lixos domésticos. Observa-se assim que, área de estudo trata-se de uma
bacia hidrográfica totalmente alteradas e impactadas, sendo em alguns pontos com
maior intensidade, além concentração de sedimento suspenso, obstrução de
vegetação no canal, verifica-se a acúmulos de lixos urbanos que contribui para o
entupimento de algumas áreas, bem como barramento do fluxo da água no canal.
Contudo, medidas como implantação de planejamento especifico para recuperação
deste córrego urbano, como a adequação ampla de rede de esgoto, coletas de lixo
regular e com maior frequência, investimento na plantação de vegetação as margens
do córrego, podem diminuir os impactos dos processos de erosão, redução de práticas
de retilinização do canal e limpeza do canal por maquinários, proporcionando assim a
recuperação natural do Córrego Fontes.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 83161001 - CELIA ALVES DE SOUZA
Externo ao Programa - 118188001 - ERNANDES SOBREIRA OLIVEIRA JUNIOR
Externo à Instituição - JEAN DA SILVA CRUZ -
Interno - 114163019 - LEILA NALIS PAIVA DA SILVA
Notícia cadastrada em: 19/05/2022 17:33
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-02.applications.sig.oraclevcn.com.srv2inst1