Projeto Político Pedagógico

De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de Ciências Contábeis, os profissionais formados em Ciências Contábeis pela UNEMAT devem ser capazes de:

 

1)      Compreender as questões científicas, técnicas, sociais, econômicas e financeiras, em âmbito nacional e internacional e nos diferentes modelos de organização;

2)      Apresentar pleno domínio das responsabilidades funcionais envolvendo apurações, auditorias, perícias, arbitragens, noções de atividades atuariais e de quantificações de informações financeiras, patrimoniais e governamentais, com a plena utilização de inovações tecnológicas;

3)      Revelar capacidade crítica-analítica de avaliação, quanto às implicações organizacionais com o advento da tecnologia da informação.

 

O curso de Bacharelado em Ciências Contábeis permite ao graduado obter o Registro no Conselho Regional de Contabilidade (CRC), para exercer a profissão de Contador.

O contador é um profissional que pode empregar seus conhecimentos em diversos campos, seja em empresas privadas, públicas ou do terceiro setor. Nos setores comercial, industrial e prestação de serviços.

Em empresas privadas, públicas ou do terceiro setor, nas áreas de análise financeira, atuária, auditoria interna, contabilidade agrícola, contabilidade ambiental, contabilidade bancária, contabilidade comercial, contabilidade de custos, contabilidade gerencial, contabilidade hospitalar, contabilidade imobiliária, contabilidade industrial, contabilidade pecuária, contabilidade social, controladoria, planejamento tributário.

Como autônomo atua em auditoria independente, consultoria, empresa contábil, perícia contábil, investigação de fraudes. Em órgãos públicos pode atuar em contabilidade pública, auditoria fiscal e de tributos, tribunal de contas, oficial contador, agente administrativo.

No ensino pode atuar como professor, pesquisador, escritor, parecerista e conferencista.

São competências e habilidades desejadas pelo contador formado na UNEMAT, estabelecidas nas Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de Ciências Contábeis (CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO; CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR, 2004):

1)      Utilizar adequadamente a terminologia e a linguagem das Ciências Contábeis e Atuariais;

2)      Demonstrar visão sistêmica e interdisciplinar da atividade contábil;

3)    Elaborar pareceres e relatórios que contribuam para o desempenho eficiente e eficaz de seus usuários, quaisquer que sejam os modelos organizacionais;

4)      Aplicar adequadamente a legislação inerente às funções contábeis;

5)   Desenvolver, com motivação e através de permanente articulação, a liderança entre equipes multidisciplinares para a captação de insumos necessários aos controles técnicos, à geração e disseminação de informações contábeis, com reconhecido nível de precisão;

6)      Exercer suas responsabilidades com o expressivo domínio das funções contábeis, incluindo noções de atividades atuariais e de quantificações de informações financeiras, patrimoniais e governamentais, que viabilizem aos agentes econômicos e aos administradores de qualquer segmento produtivo ou institucional o pleno cumprimento de seus encargos quanto ao gerenciamento, aos controles e à prestação de contas de sua gestão perante à sociedade, gerando também informações para a tomada de decisão, organização de atitudes e construção de valores orientados para a cidadania;

7)    Desenvolver, analisar e implantar sistemas de informação contábil e de controle gerencial, revelando capacidade crítico analítica para avaliar as implicações organizacionais com a tecnologia da informação;

8)      Exercer com ética e proficiência as atribuições e prerrogativas que lhe são prescritas através da legislação específica, revelando domínios adequados aos diferentes modelos organizacionais.

Este Projeto Político-Pedagógico segue as metodologias e princípios do Plano de Desenvolvimento Institucional (2017-2021) da Universidade do Estado de Mato Grosso “Carlos Alberto Reyes Maldonado” que tem como proposta estimular de forma interdisciplinar o aprendizado com a integração do ensino, pesquisa e extensão (UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO, 2017). É importante que o direcionamento metodológico atenda as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) para os cursos de graduação e componha diferentes campos do saber dos componentes curriculares, além de atender as demandas da comunidade acadêmica e da sociedade, considerando a realidade socioeconômica do estado de Mato Grosso.

 

1.1         Relação entre ensino, pesquisa e extensão

 

 

Conforme a Constituição Federal de 1988, Art. 207, as universidades devem obedecer ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão (BRASIL, 1988). Dessa forma, a relação entre ensino, pesquisa e extensão deverá permear o curso de forma integrada a fim de oferecer uma educação superior pública de excelência, contribuindo na formação de profissionais competentes, reflexivos e capazes de se consolidarem na sociedade de forma humana e com princípios éticos.

A proposta deste PPC está associada às atividades de elaboração e apresentação de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), orientados por um docente do curso. Participação dos discentes em eventos científicos, apoiando-se em resultados de pesquisas, extensão e ensino. Envolverem-se em atividades de iniciação à pesquisa fomentadas por programas de pesquisa como Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Pesquisa (PIBIC), Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PROBIC), além da participação em projetos de ensino, pesquisa e extensão relevantes à sociedade de Nova Mutum – MT e municípios circunvizinhos.

 

 

Os professores orientadores, quando possível, incluirão seus orientados em seus projetos de pesquisa e extensão. As disciplinas de Trabalho de Conclusão de Curso visam a inserção do acadêmico na pesquisa contábil. Além disso, é possível a seleção de bolsistas em editais específicos para iniciação científica. A participação em projetos de pesquisa é incentivada pela contagem de horas em atividades complementares. O mesmo ocorre com a e extensão. A partir deste PPC, a extensão será creditada ao acadêmico, fazendo com que ele passe a se inserir em projetos de coordenados pelos professores, envolvendo a comunidade.

 

1.2         Integração com a pós-graduação

 

 

A integração da Pós-graduação com a graduação, nos cursos de Agronomia, Administração e Ciências Contábeis ocorre pela docência, pelas atividades de Pesquisa e extensão, pela orientação dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), participação nas bancas de defesa dos TCC e pelos programas de auxílio à iniciação científica e pelas atividades curriculares dos cursos de mestrado e doutorado da Universidade do Estado de Mato Grosso “Carlos Alberto Reyes Maldonado”.

O fortalecimento da pós-graduação resultou no aumento de produção científica e de conhecimento. Geralmente, os estudantes de graduação e pós-graduação participam juntos de eventos científicos com publicação de trabalhos ampliando a experiência e as relações com outras culturas e instituições de ensino. Além disso, foram estabelecidos novos convênios e termos de cooperação com empresas e cooperadores expandindo as relações com a Universidade.

Atualmente, o câmpus Universitário de Nova Mutum oferece o curso de pós- graduação lato sensu em: Finanças e Gestão de Agronegócios, na modalidade presencial, com 50 vagas. O curso é direcionado a bacharéis em Ciências Contábeis, Administração, Ciências Econômicas e demais interessados em trabalhar ou administrar empresas em toda cadeia produtiva agroindustrial, desde que possuam nível superior.

 

 

O Curso, com auxílio do NDE, oferecerá para ingresso a cada 2 anos, curso de Pós- graduação Lato Sensu para que os acadêmicos possam qualificar-se em áreas específicas da Contabilidade e Gestão. Os projetos serão de caráter autofinanciado e propostos por um coordenador, que deve ser professor efetivo do curso.

 

1.3         Mobilidade estudantil e internacionalização

 

 

Mobilidade Acadêmica é o vínculo temporário do discente com algum curso que lhe permite cumprir parte de seus créditos, por período determinado, nas seguintes condições:

1) discente regularmente matriculado na UNEMAT que opte por cursar disciplina(s) de outro curso, oferecidas em outro Campus; 2) discente regularmente matriculado na UNEMAT que opte por fazer disciplina(s) em outra IES conveniada; 3) discente de outra IES conveniada que opte por fazer disciplina(s) na UNEMAT.

A Mobilidade Acadêmica exige a pré-existência de acordo de cooperação devidamente aprovado pela Supervisão de Contratos e Convênios, Diretoria de Mobilidade Acadêmica e Assessoria Jurídica da UNEMAT. O programa de Mobilidade Acadêmica da UNEMAT será coordenado pela Pró-Reitoria de Ensino de Graduação e suas normas regulamentadas em resolução específica aprovada pelo CONEPE.

A mobilidade acadêmica é considerada pelo curso de Ciências Contábeis como enriquecimento do aprendizado. O discente deverá cursar, durante o período de mobilidade acadêmica, disciplinas de Contabilidade, Administração ou Economia na instituição conveniada que o receber. Também é permitido que seja realizada em qualquer curso do Câmpus de Nova Mutum. É assegurado o aproveitamento de estudos no curso aos discentes que estiverem em mobilidade acadêmica e, por essa razão, forem regularmente matriculados em curso devidamente reconhecido de outra instituição e atendidas as legislações específicas da matéria da UNEMAT. O discente em mobilidade acadêmica está sujeito às mesmas normas dos discentes de cursos regulares da UNEMAT.

 

 

O acadêmico do curso de Bacharelado em Ciências Contábeis poderá optar por cumprir seus créditos em disciplinas de Livre Escolha em mobilidade acadêmica.

 

1.4         Tecnologias digitais de informação e comunicação no processo de ensino- aprendizagem

 

 

As Tecnologias de Informação e Comunicação, também conhecidas como TICs, permitem a integração e a comunicação de indivíduos em uma rede, ampliando as habilidades e conhecimentos pelos meios tecnológicos. Conforme a Portaria nº 1.134, de 10 de outubro de 2016, do Ministério da Educação (MEC), os cursos de graduação poderão ofertar disciplinas semipresenciais e incluir métodos e práticas de ensino-aprendizagem com TICs.

Atualmente, as Tecnologias Digitais de Informações têm influenciado na forma de trabalhar, comunicar, relacionar-se e aprender da sociedade. Nesse sentido, tornou-se necessário promover ensino-aprendizagem, oportunizando a inclusão digital.

As Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) serão adotadas no processo de ensino-aprendizagem como eixo transversal e visam:

I.  Garantir a acessibilidade digital e comunicacional;

II.  Promover a interatividade entre docentes, discentes e, quando necessário for, também entre tutores;

III.  Assegurar o acesso a materiais ou recursos didáticos a qualquer hora e lugar;

IV.  Possibilitar experiências diferenciadas de aprendizagem baseadas em seu uso.

 

 

O acadêmico poderá, ainda, participar do Programa de Nivelamento, tem por finalidade fortalecer os índices de desempenho dos ingressantes, e será feito na modalidade a distância em ambiente virtual estipulado pela instituição com tutoria presencial, tendo para isso uma disciplina de Formação em ambiente virtual de aprendizagem oferecida pela UNEMAT.

 

 

1.5         Educação Inclusiva

 

A Educação Inclusiva deve acolher todas as pessoas com diferenças e limitações. Deve ser pensada e planejada para quem tem limitações físicas, cognitivas, deve abranger todas as raças, credo, gênero e classe social. A Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (MEC/SEESP/2008) e a Lei de Inclusão da Pessoa com Deficiência (13.146/2015) permitiram os avanços e os direitos de pessoas com deficiência, assegurando um sistema educacional inclusivo em todos os níveis de ensino.

A inclusão na Universidade do Estado do Mato Grosso, no Câmpus de Nova Mutum, contempla a educação inclusiva no convívio social, na estrutura das edificações com rampas de acesso e banheiro com adaptações necessárias para cadeirante, nas relações sociais, na relação professor-aluno, contemplando a individualidade do estudante, permitindo aprendizado efetivo. Além disso, disponibiliza por meio de contração por teste seletivo de profissionais técnicos especializados em Libras, ledor, transcritor/acompanhante para assegurar acessibilidade aos discentes deficientes matriculados e docentes.

Nenhum conteúdo disponível até o momento

As avaliações das disciplinas seguem a Normatização Acadêmica da UNEMAT no que tange à quantidade, atribuição de notas/conceitos, entre outros atributos.

A avaliação dos estudantes deve ser organizada como um reforço ao aprendizado e ao desenvolvimento das competências. As avaliações da aprendizagem e das competências devem ser contínuas e previstas como parte indissociável das atividades acadêmicas. O processo avaliativo deve ser diversificado e adequado às etapas e atividades do curso. O processo avaliativo pode se dar sob a forma de monografias, exercícios ou provas

 

 

dissertativas, apresentação de seminários e trabalhos orais, relatórios, projetos e atividades práticas, entre outros, que revelem o aprendizado e promovam a produção autoral dos estudantes, de forma individual ou em equipe.

Pelo menos uma das avaliações deve ser feita por meio de prova escrita individual e sem consulta. É desejável que, ao menos uma das avaliações, inclua, se possível, questões de concursos públicos, exames do Conselho Regional de Contabilidade, avaliações de Programas de Formação Continuada, Exame Nacional de Curso, de forma que o estudante possa habituar- se com este tipo de avaliação.

Baixar Arquivo
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-03.applications.sig.oraclevcn.com.srv3inst1