Banca de DEFESA: WILLIAN TSUYOSHI KUME

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : WILLIAN TSUYOSHI KUME
DATA : 01/02/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Vídeo conferência
TÍTULO:

NANOPARTÍCULA DE ÓXIDO DE ZINCO NA NUTRIÇÃO DA CULTURA DO MILHO


PALAVRAS-CHAVES:

Adubação foliar, tratamento de sementes, solução nutritiva, nanotecnologia na nutrição de plantas.


PÁGINAS: 87
RESUMO:

O milho é o cereal mais cultivado no mundo e tem grande relevância econômica, uma vez que, é utilizado como matéria prima para múltiplos setores. Dessa forma, o manejo adequado da cultura é essencial principalmente quando se objetiva maiores produtividades e grãos de melhor qualidade. Neste contexto, o Zn ganha destaque visto que a sua deficiência é um dos fatores mais limitantes para o desenvolvimento da cultura. Diante do exposto, objetivou-se com o presente trabalho avaliar o efeito do tratamento de sementes com doses de Zn na forma de sulfato e na forma de nanopartículas sobre a germinação e o desenvolvimento de plântulas, o efeito de doses de Zn em solução nutritiva e da adubação foliar com doses e fontes de Zn na cultura do milho. Foram conduzidos dois experimentos realizando o tratamento de sementes. O primeiro experimento foi em esquema fatorial 4x2 sendo doses (0, 20, 40, 80 g kg-1 de semente) e fontes de Zn (ZnSO4 e ZnO 60 nm) e o segundo experimento com fontes de Zn (ZnSO4, ZnO 60 nm e ZnO 40 nm). Para ambos experimentos avaliou-se o comprimento de plântula e raiz, diâmetro de colmo, massa fresca e seca, volume de raiz, IVG e taxa germinação. O terceiro experimento foi realizado a campo no município de Alta Floresta - MT em LATOSSOLO VERMELHO-AMARELO distrófico. Utilizou-se o DBC num esquema fatorial 4x2 sendo doses (0, 250, 500 e 1000 g ha-1) e fontes (ZnSO4 e ZnO 40 nm) com quatro repetições e aplicação foliar no estágio R1. Ao fim do experimento avaliou-se a produtividade, diâmetro da espiga, massa de 100 grãos, número de fileiras por espiga e teor de Zn nos grãos. O quarto experimento foi realizado em solução nutritiva em casa de vegetação e utilizou-se o DBC com doses de Zn (0, 1, 2, 4 e 8 mL L-1). Ao fim do experimento avaliou-se o comprimento de parte aérea e raiz, diâmetro de colmo, volume de raiz, massa seca de parte aérea, proteína bruta e teor micronutrientes. A aplicação das fontes nanométricas no tratamento de sementes promoveu maior IVG, massa verde e seca, comprimento da parte aérea e radicular em relação a fonte sulfato. Comparando as fontes nanométricas a fonte 40 nm promoveu maior valor de massa verde da parte aérea sugerindo uma maior absorção da fonte óxido de menor tamanho. No experimento a campo não houve diferença significativa nas variáveis analisadas. Este fato sugere que o teor de Zn presente no solo era suficiente para atender as necessidades nutricionais do híbrido de milho utilizado. Com relação ao teor de Zn no grão recomenda-se mais de uma aplicação do micronutriente durante o ciclo da cultura. Evidenciou-se no experimento em solução nutritiva os severos sintomas de deficiência do nutriente no desenvolvimento do milho. Além disso, observou-se o desbalanço nutricional através do maior acúmulo de Fe, Mn e B em decorrência da deficiência de Zn. E também, verificou-se que o excesso do micronutriente promoveu menores valores de massa seca da parte aérea, diâmetro do colmo e volume de raiz em comparação com a dose ideal (1 mL L- 1) devido ao efeito fitotóxico.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 210865003 - GUSTAVO CAIONE
Interno - 117000004 - MARCO ANTONIO CAMILLO DE CARVALHO
Externo à Instituição - HUDSON WALLACE PEREIRA CARVALHO - USP
Notícia cadastrada em: 12/02/2021 12:02
SIGAA | Tecnologia da Informação da Unemat - TIU - (65) 3221-0000 | Copyright © 2006-2022 - UNEMAT - sig-application-04.applications.sig.oraclevcn.com.srv4inst1